Algas marinhas aumentam produtividade em mais de 18 sacas por alqueire no cultivo de soja

Estudo realizado no Paraná demonstrou resultados surpreendentes com aumento de 14% em uma lavoura que já apresentava boa produtividade.

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Para incrementar ainda mais a sua produtividade, agricultores da cidade de Palmeira, no Estado do Paraná, decidiram fazer uma comparação entre os métodos tradicionais de fertilização e a aplicação do Algen, fertilizante 100% vegetal, a base de alga marinha Lithothamnium sp, desenvolvido pela Oceana Brasil. O resultado foi impressionante. O agricultor, que já conseguia uma média de 133 sc/alq, viu sua produtividade saltar para 151 sc/alq, trazendo um retorno sobre o investimento superior a R$ 810,00 por alqueire.

Com mais de 70 nutrientes, a Linha Algen aumenta a produtividade das lavouras e melhora a qualidade do solo e dos alimentos cultivados. A linha de produtos desenvolvida pela Oceana apresenta resultados excelentes em diversos tipos de cultura, e promete revolucionar o mercado de grãos e cereais nos próximos anos. Por ser de origem biológica, favorece a absorção dos demais nutrientes pelas plantas. É esta biodisponibilidade que permite, além do aumento na produtividade, uma melhora significativa na qualidade das lavouras, com maior durabilidade da safra e grãos mais firmes.

Os excelentes resultados da aplicação do Algen em cultivos de soja têm sido constatados em outras lavouras no País, em comparação com fertilizantes não biológicos. Esse foi o principal motivo que levou o Grupo Risa, maior empresa de agronegócios da região do MATOPIBA, a firmar parceria com a Oceana Brasil para ter uma linha exclusiva do produto, o Algen Risa. O Grupo utiliza o Algen há dez anos em suas próprias lavouras de milho e soja, com ótimos resultados ─ só de soja, são 70 mil hectares. Também a Fazenda Veredas do Turvo, em Goiás, obteve um aumento total de 1.098 sacas em uma área de 182 hectares fertilizada com o Algen One granulado.

“Cada vez mais os estudos de campo estão demonstrando o que já foi comprovado em pesquisas científicas em todo o mundo: fertilizantes biológicos baseados na alga Lithothamnium conseguem aumentar a produtividade, melhorar a qualidade das lavouras com um custo menor, atendendo às principais demandas dos agricultores”, explica Ricardo Macedo, gerente de pesquisa e desenvolvimento da Oceana Brasil. “Além disso, trata-se de um produto 100% nacional, certificado para cultivos orgânicos, e sustentável”, completa Ricardo, que é doutor e o principal especialista em estudos com a alga Lithothamnium no Brasil.

A linha completa de fertilizantes Algen, da Oceana Brasil, possui certificação para uso em produtos orgânicos, pois além de 100% naturais, comprovadamente tem o maior grau de pureza do mercado. A alga marinha Lithothamnium extraída pela Oceana cresce em um ambiente ideal, com correntes marítimas e incidência solar únicas no mundo. A empresa trabalha e investe em pesquisas e tecnologia de ponta e no controle e monitoramento da vida biológica, para manter o equilíbrio ambiental da região da jazida e garantir a qualidade dos produtos.

Sobre a Lithothamnium

Alga marinha calcária, conhecida há mais de 200 anos, o Lithothamnium vem sendo explorado nos últimos 30 anos por países da Europa e Ásia, para oferecer nutrição animal, vegetal e humana. Produto nobre, possui alta reatividade e é rico em mais de 70 nutrientes minerais e orgânicos, altamente solúveis e naturalmente equilibrados pelo meio ambiente. Os procedimentos industriais adotados pela Oceana Brasil preservam intactas todas as propriedades físicas, nutricionais, orgânicas e biológicas da Alga Lithothamnium.

Deixe uma resposta