Grupo de Trabalho vai buscar alternativas no comércio da farinha de arroz

Instituída pelo Ministério do Desenvolvimento Social, iniciativa contará com a Federarroz e o Irga

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado
Um grupo de trabalho conjunto formado pela Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social, Federação das Associações de Arrozeiros do Estado do Rio Grande do Sul (Federarroz) e Instituto Riograndense do Arroz (Irga) foi criado para introduzir os derivados de arroz nas compras do governo federal. O Acordo de Cooperação Técnica visa introduzir os derivados de arroz na cesta básica e na merenda escolar. A comissão criada por portaria recente vai acompanhar as compras de arroz para abastecer os ministérios militares e as áreas sociais do governo.
Para a Federarroz, esta é uma alternativa para que os produtores tenham outras formas de comercialização do cereal, especialmente no sentido de criar oportunidades de mercado aos arrozeiros. “A ideia deste grupo é criar um ambiente para o desenvolvimento de derivados de arroz. Além disso também visa contribuir para o comércio do grão”, destaca o presidente da entidade, Henrique Dornelles.
O acordo para instituir a parceria foi assinado durante a Abertura Oficial da Colheita do Arroz, no mês de fevereiro, em Cachoeirinha (RS). Rica em nutrientes, a farinha de arroz vem servindo como alternativa à farinha de trigo. O produto é incentivado especialmente para os celíacos, já que há um diferencial no processo produtivo que é o seu desenvolvimento separado de outros grãos que contém glúten, já que a doença celíaca é uma reação imunológica ao glúten e que causa inflamação grave no intestino, podendo levar à desnutrição por má absorção de nutrientes.

Deixe uma resposta