Controle de irrigação reduz custos e aumenta produtividade

Especialista alerta que monitoramento deve ser permanente mesmo quando o clima colabora

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado
A irrigação ainda é vista pelo produtor, no geral, como uma ferramenta para momentos que há falta de chuvas. Entretanto, mesmo em anos que o clima colabora, o controle de irrigação se faz necessário para buscar o aumento de produtividade das lavouras. Para isso, é fundamental fazer o controle efetivo das áreas a serem irrigadas de forma a auxiliar as plantações a obterem o melhor desempenho.
Conforme o diretor da Falker Automação Agrícola, Marcio Albuquerque, é importante que o agricultor esteja sempre utilizando e monitorando os sistemas de irrigação até nos momentos em que não se parece ter necessidade da utilização destas ferramentas. “Muitas vezes os produtores fizeram o investimento mas estão perdendo produtividade porque não estão utilizando, por isso é importante ter um bom acompanhamento da necessidade de irrigação, controlando e avaliando mesmo em anos que o clima está colaborando”, destaca.
O especialista lembra que existem dois tipos de uso de irrigação no Brasil. Um deles é a irrigação de complementação, pois chove o suficiente para suprir a maior parte da necessidade da cultura e há este complemento do que está faltando, o que ocorre no Sul do país. Já no Centro-Oeste, normalmente, é utilizado quando para de chover e existe a possibilidade de fazer uma safra extra, se faz ela baseada única e exclusivamente com irrigação. “Em um caso se avalia se há necessidade de irrigação ou não e em outro se verifica quanto e quando o produtor vai irrigar, pois será necessário fazer a irrigação”, observa.
Albuquerque ressalta que o controle de irrigação também auxilia na redução de custos. Além disso, o controle é importante para o uso racional da água. “Em regiões com déficit de chuvas, o produtor precisa ficar atento à utilização da melhor forma possível da água que ele tem armazenada. Se o agricultor tem um pivô, se não usar da forma correta, na metade da safra pode já ter secado com o açude dele, faltando em momentos importantes da cultura. É uma forma de utilizar a água armazenada para passar por período de dificuldades”, salienta.
A Falker comercializa um sistema de monitoramento e controle dos níveis de umidade do solo. Sensores são instalados na lavoura com uma antena de rádio de 50 centímetros. Estas antenas formam uma rede que transmite a informação até chegar a um ponto ligado à uma estação central na fazenda, onde se concentram os dados de toda a propriedade. Um dos grandes diferenciais do FarmLink é a precisão nas informações que chegam aos produtores sobre como está a umidade do solo em diversos pontos da lavoura. Outra inovação consiste no acompanhamento remoto de qualquer lugar onde o produtor estará, já que o sistema está disponível para acesso web.

Deixe uma resposta