Brasil fecha 2017 com a correta destinação de mais de 45 mil toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas

Sistema Campo Limpo é exemplo mundial de logística reversa no campo

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Com total engajamento de todos os elos da cadeia agrícola produtiva, o Sistema Campo Limpo possibilitou, em 2017, a correta destinação para pouco mais de 44.512 toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas. Em 15 anos de atuação, o SCL já retirou dos campos mais de 450 mil toneladas do material. No país, 94% das embalagens plásticas primárias são destinadas de forma ambientalmente correta, contribuindo com a sustentabilidade do agronegócio brasileiro.

“Recentemente divulgamos o modelo brasileiro na Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente, em Nairóbi (Quênia). O evento debateu práticas que podem contribuir com a redução/combate da poluição e os representantes de outras nações reconheceram a eficiência e os resultados do Sistema Campo Limpo neste processo. Isso só reforça a posição de referência mundial do Brasil no setor”, destaca João Cesar M. Rando, diretor-presidente do inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias), núcleo de inteligência do Sistema Campo Limpo.

Destinação por Estados

Mato Grosso foi o estado que encaminhou corretamente a maior quantidade de embalagens vazias de defensivos agrícolas em 2017, 23% do total. Foram mais de 10.319 toneladas do material entregues pelos produtores nas centrais, postos e recebimentos itinerantes. O estado do Paraná foi responsável por destinar o equivalente a 13% do total nacional (pouco mais de 5.764 toneladas). Já Rio Grande do Sul e São Paulo contribuíram com cerca de 10% cada um, do que foi recebido em todo Brasil.

“Esse resultado é reflexo do engajamento dos agricultores, fabricantes e canais de distribuição, com apoio do poder público, que cumprem com suas responsabilidades compartilhadas, fazendo a agricultura brasileira mais sustentável”, finaliza Rando.

Deixe uma resposta