Projeto que altera o Fundoleite é entregue ao presidente da Assembleia Legislativa

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado
Entidades ligadas ao setor lácteo gaúcho entregaram, nesta quarta-feira (29/11), ao presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (ALRS), Edegar Pretto, projeto de lei que altera o Fundoleite. A proposta construída entre as entidades, é referente aos recursos do fundo. Com o projeto, 10%  seriam destinados ao instituto, 20% iriam para projetos que visam o desenvolvimento do setor, que poderiam ser apresentados por qualquer entidade representativa, e 70% da arrecadação seria aplicada em assistência técnica aos produtores de leite.
“A aplicabilidade de 70% em assistência técnica aos produtores rurais é fundamental, pois são eles que precisam do suporte técnico para se manterem em sua atividade”, pontuou o presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios do RS (Sindilat), Alexandre Guerra. O dirigente ainda afirmou que se faz necessario aprovar o projeto na íntegra. “Esse consenso demonstra a vontade que temos de avançar na produção do Estado”, acrescentou, ressaltando a importância da proposta para o desenvolvimento do setor lácteo.
Na ocasião, o presidente da Assembleia elogiou o trabalho feito em conjunto pelas entidades. “Sei que não é fácil chegar num consenso assim. A casa é política e precisa de construção política”, afirmou Pretto, agradecendo pela presença dos representantes. “Esse setor, em especial, está precisando de unidade”, afirmou. O secretário da Agricultura, Ernani Polo, reafirmou que o projeto é resultado de entendimento e união do setor. “A construção política em conjunto é o primeiro passo para fazer enfrentamento às dificuldades da cadeia do leite”.
Além do Sindilat, estiveram presentes a Apil, AGL, Fetag, Fetraf Sul, Famurs, Ocergs e Fecoagro.
Reunião do Grupo de Trabalho debate o assunto
Deputados encaminharão ao secretário da Casa Civil, Fábio Branco, o pedido de revogação do decreto 53.059, que trata do regulamento do imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e prestações de serviços de transporte interestadual e internacional. A decisão foi tomada a partir de discussão feita ainda pela manhã, no salão Alberto Pasqualini, na Assembleia Legislativa, durante reunião do Grupo de Trabalho a respeito da importação do leite em pó do Mercosul (GTL). Além disso, foram debatidas questões referentes ao projeto de alteração do Fundoleite e medidas para a importação de leite em pó uruguaio. Os deputados Zé Nunes, Elton Weber, Edson Brum e Sérgio Turra estiveram presentes na ocasião.
O Sindilat esteve representado pela gerente administrativa, Julia Bastiani e pelo cooerdenador do setor de leite da Languiru, Fernando Staggemeier.

Deixe uma resposta