Boas práticas de vacinação refletem na qualidade da agropecuária brasileira

Procedência da vacina e cuidados na aplicação são fundamentais para saúde dos rebanhos e minimizam prejuízos aos produtores

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

O Brasil é um dos principais países na produção e no comércio de carne bovina. Em 2015, possuía o maior rebanho do mundo com 209 milhões de cabeças, sendo o segundo maior exportador de carne bovina, com 1,9 milhão de toneladas, além de ter no mercado interno 80% do seu consumo, de acordo com dados da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

Ao citar os bovinos, a adoção de boas práticas de vacinação é fundamental para garantir a qualidade da carne produzida. Essas medidas previnem a ocorrência e a disseminação de doenças, além de serem essenciais para garantir a qualidade de vida dos animais, seu bem-estar e para minimizar prejuízos aos produtores.

“A maior parte dos problemas de vacinação acontece durante a aplicação. Dificuldades e acidentes de manejo acabam provocando lesões no animal, prejudicando sua saúde e consequentemente a qualidade da carne decorrente desse animal”, destaca Bruno Lima, veterinário da Virbac, empresa multinacional francesa dedicada exclusivamente à saúde animal.

Segundo ele, más práticas podem causar abcessos, traumatismos, transmitir doenças e até prejudicar a resposta à vacina. Ele destaca algumas das boas práticas que devem ser seguidas durante a vacinação para evitar problemas com o rebanho:

– Observe a procedência, validade e conservação das vacinas que serão aplicadas;

– Respeite a orientação dos fabricantes acerca da dose e via de aplicação. É fundamental, por exemplo, respeitar questões como ângulo de inserção da agulha;

– Mantenha os equipamentos guardados apropriadamente enquanto a vacina não estiver sendo aplicada;

– Seringas e agulhas devem ser devidamente higienizadas e fervidas antes das aplicações;

– Respeite o limite de uso da agulha, trocando-a após a inserção a cada 10 animais;

– Cumpra os prazos de reaplicação da dose quando é necessário o reforço;

– O tamanho da agulha também deve ser adequado para cada caso a fim de evitar riscos;

– Agulhas desgastadas ou tortas devem ser descartadas;

– No momento da vacinação, é importante que os animais estejam os mais calmos possíveis.

 

Sobre a Virbac

Fundada na França em 1968 pelo médico veterinário Dr. Pierre Richard Dick, a Virbac ocupa hoje a 7ª posição no ranking mundial das companhias farmacêuticas veterinárias. Transformou-se em marca de referência no mercado veterinário global graças a uma grande linha de produtos biológicos e farmacêuticos que previnem e combatem as principais patologias dos animais domésticos e de criação, com destaque para a linha de produtos dermatológicos, líderes mundiais de vendas. A Virbac está presente em mais de 100 países com produtos e serviços que trazem, juntos, qualidade, eficácia e facilidade de utilização a todos os envolvidos no cuidado animal. Site: https://br.virbac.com