Dia de Campo: aqui nasce a sua cerveja

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Cervejaria Ambev reuniu mais de 350 agricultores em Passo Fundo (RS) para trocar experiências sobre o plantio da cevada

 

Quem mora na cidade até esquece que a cerveja nasce na natureza, mais especificamente nos campos de cevada. No Brasil, um dos principais polos produtores do cereal é a região de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, onde acontece anualmente o Dia de Campo, promovido pela cervejaria Ambev. Mais de 350 produtores, distribuidores e cooperativas parceiras se reuniram nesta quarta, dia 04, para celebrar o começo da temporada de colheita da cevada, considerada a alma da cerveja, e discutir as melhores práticas para a produção do grão e aumentar a produtividade do cultivo.

O compromisso da Ambev com o incentivo ao plantio de cevada é comemorado todos os anos. A cervejaria Ambev é, hoje, a maior fomentadora de cevada no Brasil e transfere tecnologia, fornece sementes, fertilizantes e treina mais de dois mil agricultores do Rio Grande do Sul e do Paraná, que são beneficiados com a distribuição de 270 mil toneladas do grão a cada safra.

“Somos apaixonados por cerveja e cuidamos da qualidade dos nossos ingredientes do campo ao copo. E a cevada, que é uma das principais matérias-primas da cerveja, além de um produto natural, é o primeiro desses cuidados, pois é onde realmente nasce a cerveja e é a base para a criação de diversos rótulos, que agradam o consumidor das mais diversas ocasiões. Cada detalhe faz a diferença em uma cerveja”, conta Mauricio Soufen, Vice-Presidente de Supply da Cervejaria Ambev.

 

Durante o Dia de Campo, três agricultores foram reconhecidos pela excelência de seu trabalho, de acordo com três diferentes parâmetros: maior evolução percentual e total em área de cultivo de cevada, melhor qualidade de cevada entregue e maior produção do grão em hectares. São eles:

  • Cotrijal com a maior evolução e maior área de captada, com 17 mil hectares de fomento de cevada
  • Agrofel com a melhor qualidade de cevada entregue em 2016
  • Rafael Zambam sendo o maior produtor rural do nosso fomento de cevada, com 1.750 hectares

Tecnologia para cervejas de qualidade no presente e no futuro

A cada edição do evento, a cervejaria tem alcançado importantes avanços de inovação para garantir a qualidade e aumentar a produtividade do grão. Para isso, a cervejaria Ambev mantém, há mais de 30 anos, parceria com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). Nos últimos anos, a Ambev desenvolveu e testou sete cultivares novos de cevada, além de outros oito próprios. Por ano, em média, dois novos grãos são testados no campo.

Ainda, a cervejaria também desenvolve três programas junto aos produtores de cevada:

  • SmartBarley – funciona por meio de uma equipe de agrônomos que trabalham para melhorar a gestão ambiental e aumentar a produtividade agrícola. Neste ano, o número de produtores parceiros do programa aumentou 25%, envolvendo ao todo 700 lavouras de cevada.
  • Programa de Excelência de Distribuidores – reconhece e estimula os melhores parceiros fomentadores de cevada no País. O foco aqui é a gestão voltada para o alcance de resultados e ao aumento do nível técnico de todos os envolvidos.
  • Radar – fornece informações coletadas em diversas estações meteorológicas a mais de 400 produtores, permitindo que eles tomem decisões sobre o manejo do cultivo de maneira preventiva e sempre cientes das condições atuais de clima. O programa, desenvolvido pela cooperativa Agrária, possibilita o aumento dos lucros por meio da otimização de recursos e aumento da produtividade por hectare.

“Com esses programas buscamos, principalmente, incentivar nossos produtores, que cuidam da cevada com o maior carinho para que os consumidores bebam a melhor cerveja. É esse o nosso principal objetivo. Fazer cerveja boa hoje, e uma ainda melhor no futuro”, conta Marcelo Coelho Otto, diretor agroindustrial da Ambev.

A área de plantio dos produtores do programa de fomento da Ambev em 2017 foi de 72 mil hectares, um aumento de 28,5% em relação a 2016. Assim, o volume de produção do grão neste ano deve ser maior do que no ano passado, quando a safra atingiu 56 mil hectares, até então uma safra recorde.

Os agricultores que realizaram o plantio em maio já estão colhendo o grão, mas o pico da colheita deve ocorrer entre o final de outubro e o início de novembro. É nesse período, em que a maioria dos produtores que plantaram o cereal em meados de junho, colhem a cevada.

 

 Maltarias Ambev

Para transformar a cevada em malte a Ambev possui seis maltarias. Duas no Uruguai, duas na Argentina e duas no Brasil: a Navegantes, localizada em Porto Alegre (RS), e a Passo Fundo (RS). Essa última é a mais nova delas e tem potencial para produzir 130 mil toneladas de malte. Com 150 colaboradores, a unidade recebeu R$ 4,5 milhões em investimentos entre 2015 e 2016, para melhorias em equipamentos e processos. Ainda, ela conta com uma área de pesquisa de novos materiais, onde agrônomos e pesquisadores estudam novos grãos de cevada, métodos de plantio e cultivo, buscando sempre as melhores práticas para a cevada que plantamos e colhemos.

Juntas, as seis maltarias da companhia têm capacidade para produzir mais de 74 mil toneladas de malte por mês, ou 900 mil toneladas por ano.

Deixe uma resposta