Mercado de frango registra poucas mudanças nos preços

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

O mercado brasileiro de frango encerra uma semana marcada por lentidão nos negócios e por poucas mudanças nos preços. De acordo com o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Iglesias, há expectativa quanto a alterações de preço no curto prazo, considerando a nova alta nos preços dos fretes, que pode ser repassada pelos produtores aos preços do quilo vivo e dos cortes, e a boa alta nos preços da carne bovina. “Como a carne de frango concorre diretamente com a bovina, pode haver um indicativo de melhora nos preços no curto prazo”, projeta.

Os preços dos cortes de frango congelado tiveram algumas mudanças na semana. O quilo do peito na distribuição passou de R$ 5,00 para R$ 5,05, o quilo da coxa caiu de R$ 3,80 para R$ 3,70 e o quilo da asa subiu de R$ 6,00 para R$ 6,20. No atacado, o quilo do peito subiu de R$ 4,70 para R$ 4,80, o quilo da coxa baixou de R$ 3,60 para R$ 3,50 e o quilo da asa subiu de R$ 5,80 para R$ 6,00.

Nos cortes resfriados, o preço do quilo peito na distribuição subiu de R$ 5,10 para R$ 5,20, o quilo da coxa baixou de R$ 3,90 para R$ 3,80 e o quilo da asa subiu de R$ 6,10 para R$ 6,30. No atacado, o preço do quilo do peito avançou de R$ 4,80 para R$ 5,00, o quilo da coxa caiu de R$ 3,70 para R$ 3,60 e o quilo da asa avançou de R$ 5,90 para R$ 6,10.

 Nas exportações, Iglesias diz que o desempenho segue melhorando, o que é um fator importante já que o mercado de frango segue muito dependente das vendas ao mercado externo.

     As exportações de carne de frango “in natura” do Brasil renderam US$ 367,1 milhões em agosto (14 dias úteis), com média diária de US$ 26,2 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 226,7 mil toneladas, com média diária de 16,2 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 1.619,30.

Na comparação com julho, houve baixa de 0,3% no valor médio diário exportado, perda de 4,1% na quantidade média e valorização de 3,9% no preço médio. Em relação a agosto de 2016, houve alta de 13,3% no valor médio diário da exportação, ganho de 13,3% na quantidade média diária exportada e estabilidade no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

O levantamento semanal realizado por SAFRAS & Mercado nas principais praças de comercialização do Brasil indicou que em Minas Gerais o quilo vivo seguiu em R$ 2,60. Em São Paulo o quilo vivo seguiu em R$ 2,45.

Na integração catarinense a cotação do frango continuou em R$ 2,25. No oeste do Paraná o preço seguiu em R$ 2,20 na integração. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo permaneceu em R$ 2,30.

No Mato Grosso do Sul o preço do quilo vivo do frango continuou em R$ 2,50. Em Goiás o quilo vivo permaneceu em R$ 2,50. No Distrito Federal o quilo vivo se manteve em R$ 2,60.

Em Pernambuco, o quilo vivo passou de R$ 2,90 para R$ 3,00. No Ceará a cotação do quilo vivo subiu de R$ 2,90 para R$ 3,00 e, no Pará, o quilo vivo teve alta de R$ 3,10 para R$ 3,20.

Deixe uma resposta