(54) 3632 5485 contato@destaquerural.com.br

Estudo da Conab mostra que tecnologia é a solução para produtividade da soja

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

A disseminação de tecnologias no processo de cultivo da soja pode ser a solução para impulsionar ainda mais a produtividade da soja, sem aumentar os custos de produção. O tema é abordado no estudo “A produtividade da soja: análise e perspectivas”, que integra uma série de compêndios elaborados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

De acordo o documento, apesar dos investimentos em tecnologia feito nos últimos anos, o crescimento dessa cultura no país ocorreu principalmente pela incorporação de novas áreas ao processo produtivo. “Em relação à produtividade, no período avaliado de 40 anos até a safra 2015/16, a cultura global de soja atingiu um nível médio de produtividade que não tem mais avançado”, diz o superintendente de Informações do Agronegócio da Conab, Aroldo de Oliveira Neto.

VER MAIS: Exportações gaúchas crescem 7,8% e soja em grão é o principal produto exportado

VER MAIS: Entra em vigor lei que proíbe safrinha de soja em Mato Grosso do Sul

VER MAIS: Produção de soja no Brasil cresce mais de 13% ao ano

“Nos três maiores produtores mundiais – Estados Unidos, Brasil e Argentina –, a marca de 3 mil kg/ha representa um patamar de produtividade média que não se consegue avançar de forma significativa. Então, é preciso pensar em alternativas para aumentar o rendimento”, acrescenta Neto.

A análise mostra ainda que a soja atualmente pode ser cultivada em várias regiões do Brasil, em diferentes épocas, por meio de diferentes sistemas de produção e novas fronteiras agrícolas, graças aos programas de melhoramento que desenvolvem cultivares que se adaptam às condições de solo e ambiente. Exemplos desse desenvolvimento agrícola são estados como o Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Maranhão, Piauí e Bahia.

As alternativas para aumentar o rendimento, segundo o estudo, é o uso de máquinas mais eficientes, novos métodos de cultivo e cultivares resistentes a doenças. No entanto, o desafio será construir uma tecnologia que seja acessível ao ponto de ser viável para os produtores.

Deixe uma resposta