Alerta de neve para hoje no Rio Grande do Sul

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

A massa de ar quente que foi responsável pelo calor de até 30ºC registrado no sábado (15), deu lugar a uma poderosa massa de ar de origem polar. Segundo a MetSul Meteorologia, deve ser esperada uma queda extremamente forte da temperatura nesta segunda-feira (17). Com a chegada da parte mais intensa do ar polar, o dia vai ser extremamente frio com temperatura baixa mesmo no período da tarde.

Neve e chuva congelada
De acordo com a previsão, todos os modelos numéricos indicam a ocorrência de neve na segunda-feira no Sul do Brasil, mas divergem acerca da abrangência do fenômeno, a intensidade e o período favorável do dia. Já não se descarta que neve durante a manhã em alguns pontos, mas, em geral, as simulações retardaram o período mais favorável à neve para a tarde e noite. As condições, conforme os dados, tendem a ser muito propícias com alta possibilidade de nevar nas áreas em que o fenômeno tradicionalmente costuma se dar como os Aparados da Serra (Bom Jesus, São Francisco de Paula, Vacaria, Jaquirana, Ausentes, etc.) e o Planalto Sul Catarinense, onde as cotas estão acima de mil metros.
Há possibilidade de nevar em municípios da Serra Gaúcha com altitudes entre 600 e 800 metros, mas é menor e com grau de probabilidade inferior ao que os modelos indicavam na quinta e na sexta-feira. Permanece ainda chance de ocorrência de neve em pontos acima de 400/500 metros da Serra do Sudeste, Centro do Estado, Alto Jacuí, Planalto Médio e Alto Uruguai, mas com chance pequena a média. Ocorre que, ao chegar o ar mais gelado em altitude que é propício à neve, deverá secar rapidamente em alguns lugares. Na Metade Norte, pelas maiores altitudes, a cobertura de nebulosidade deve permanecer por mais tempo com a influência do vento que determina levantamento vertical e estimula nuvens, além da presença de um cavado polar (área de menor pressão atmosférica). Persiste a possibilidade de neve ainda em áreas mais altas do Meio-Oeste Catarinense, Planalto Norte de Santa Catarina e do Sul/Sudoeste do Paraná, a despeito da probabilidade já ter sido maior.
Não se antecipa um evento com a magnitude dos registrados em julho e agosto de 2013. É muito possível que haja acumulação, mas em áreas de maior altitude entre os Aparados e o Planalto Sul. Nestas regiões devem ocorrer períodos de neve forte, logo é recomendável ter muita atenção ao dirigir. Nas demais regiões, em que a cota é inferior a mil metros, mesmo que não seja possível se descartar acumulação, se nevar os acumulados seriam inferiores a muito inferiores.

Geada
Vento e ar muito gelado podem provocar “geada negra” em locais mais altos do Sul do Brasil durante a segunda-feira. Com tempo aberto e o vento fraco a calmo durante as madrugadas de terça e quarta-feira se espera geada generalizada no Rio Grande do Sul e na maior parte do Sul do Brasil e que deve ser forte a intensa na maioria das cidades. Se espera geada em quase toda a área da Grande Porto Alegre e na maioria dos bairros da Capital. Ainda deve gear na segunda metade da semana que vem no Sul do Brasil, mas a cada dia vai diminuir o número de pontos com o fenômeno.

Mínimas extremas
As madrugadas de terça e quarta-feira devem ser extremamente frias no Sul do Brasil. No Rio Grande do Sul, a MetSul antecipa mínimas ao redor de 0ºC ou abaixo de zero em quase todos os municípios do Estado, inclusive na região da Grande Porto Alegre que pode ter marcas tão baixas quanto -1ºC a -3ºC em alguns pontos. Em Porto Alegre, alguns bairros devem ter entre -1ºC e 1ºC na quarta-feira. Na Serra e Aparados, as mínimas negativas serão generalizadas com valores excepcionalmente baixos. Na região de São José dos Ausentes não são descartadas mínimas de -6ºC a -8ºC e no Planalto Sul de Santa Catarina podem ser anotadas marcas tão baixas como -8ºC a -10ºC. Devido às mínimas excepcionalmente baixas se espera significativo congelamento. As noites vão seguir com mínimas muito baixas na segunda metade da semana que vem, contudo com tendência de elevação.

*Com informações da MetSul Meteorologia

Deixe uma resposta