Blairo Maggi defende alteração do Plano Agrícola e Pecuário para as cooperativas

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Como resultado da forte atuação do Sistema OCB, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, ressaltou durante o lançamento Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018 (PAP 2017/18), realizado pelo Banco do Brasil, que o normativo “atrapalha o andamento dos financiamentos” para as cooperativas agropecuárias do país. O evento ocorreu em Brasília e contou com a presença do presidente da República, Michel Temer, do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, do presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, e outras autoridades do setor agropecuário.

Maggi se dirigiu a Michel Temer e a Márcio Freitas ao admitir que é necessário encontrar soluções que diminuam o impacto do Plano para as cooperativas. Ele também afirmou que “o Banco Central e a Fazenda (o Ministério) irão compreender que o que foi feito atrapalha e não ajuda”. Por fim, o ministro da Agricultura arrematou: “O dever, a obrigação e a vontade do governo é facilitar a vida dos agricultores”.

VER MAIS:  Cooperativas agropecuárias gaúchas faturam mais de R$ 20 bi em 2016

VER MAIS: Recursos do Plano Safra 2017/2018 estão disponíveis aos produtores

VER MAIS: Caixa começa a liberar recursos do Plano Agrícola e Pecuário a partir de 05/07

VER MAIS: Governo Federal anuncia R$ 190,25 bilhões para Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018

Na avaliação do presidente do Sistema OCB, Márcio Freitas, o fato de o ministro Blairo Maggi reconhecer os impactos negativos do Plano para o cooperativismo agropecuário é um indicativo de que as ações de sensibilização, desenvolvidas pelo Sistema OCB e lideranças cooperativistas agropecuárias, desde o lançamento do PAP 2017/18, no início de junho, têm surtido efeito.

“Nós esperamos, de fato, que esses ajustes sejam implementados o mais rápido possível, pois as cooperativas agropecuárias abrigam boa parte dos pequenos produtores rurais e, à medida que o Plano as impede ou dificulta o seu acesso as linhas de crédito, o governo está prejudicando o negócio do produtor rural. E as pessoas no campo tem uma importância vital para estabilizar a economia do país”, comenta Márcio Freitas.

Deixe uma resposta