(54) 3632 5485 contato@destaquerural.com.br

Clima seco e temperaturas elevadas paralisam crescimento das culturas de inverno

Foto: Divulgação/Emater/RS-Ascar
Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

A área de plantio de trigo está abaixo da média para o período devido à continuidade do clima seco e temperaturas elevadas. Enquanto no mesmo período do ano passado o Rio Grande do Sul tinha 92% da área de trigo, neste ano os gaúchos contam com apenas 87% da área prevista já finalizada. O longo período sem chuvas, ocasionou a diminuição da umidade do solo e consequentemente a paralisação do crescimento das plantas.  Quando revolvidos para o plantio, os solos apresentam grandes volumes de torrões e dificuldades para a descompactação, prejudicando o avanço ou mesmo a finalização do plantio.

VER MAIS: Diminuição da umidade favorece plantio da safra de inverno no Rio Grande do Sul

VER MAIS: Emater/RS-Ascar divulga estimativas iniciais da safra de inverno 2017

VER MAIS: Lavouras de inverno: como será o clima neste ano?

Foto: Divulgação/Emater/RS-Ascar

Na região da Serra a semeadura está concluída nos municípios de menor altitude, seguindo em ritmo intenso nos municípios dos Campos de Cima da Serra, onde o período recomendado para a semeadura se estende até o final de julho. Devido ao microclima diferenciado nesta parte do Estado, as lavouras apresentam boa germinação e bom desenvolvimento de plantas.

CANOLA

A semeadura das últimas áreas de canola no Estado será finalizada, nesta semana, na região Noroeste. O estresse causado pelas condições climáticas (recuperação após excesso das chuvas e o atual momento de solo seco), deverá ter reflexos negativos na produtividade pelo atraso observado no desenvolvimento das plantas e sua debilidade.

CEVADA

A cultura está em fase de desenvolvimento vegetativo e pela escassez de umidade do período, apresenta lentidão no crescimento das plantas, causando início de deficiência nutricional.

AVEIA BRANCA

Também essa cultura se encontra com desenvolvimento lento, plantas amarelecidas e baixo perfilhamento, em decorrência das condições de solo seco, inclusive impedindo a aplicação de adubação nitrogenada em cobertura. Em algumas áreas já há incidência de doenças – oídio, ferrugem e manchas foliares.

Deixe uma resposta