Leilões negociam apoio ao escoamento de mais de 300 mil toneladas de milho

Foto: Divulgação
Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Dando continuidade às ações de sustentação de preços aos produtores de milho, novos leilões de apoio ao escoamento do grão foram realizados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta quinta-feira (6). As operações contemplaram os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal, onde o preço de mercado está abaixo do mínimo calculado pelo governo federal.

No leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), foi negociada subvenção para venda e escoamento de 237,94 mil toneladas de milho de Mato Grosso. Ao todo, foi ofertado prêmio para 720 mil toneladas: 240 mil t para Mato Grosso, 240 mil t para Mato Grosso do Sul e 240 mil para Goiás e Distrito Federal.

Já o Prêmio para o Escoamento (PEP) comercializou apoio para 70 mil toneladas de milho, sendo 60 mil de MT e 10 mil de MS. A operação, voltado às indústrias, ofereceu prêmio para escoamento de 180 mil t de milho, sendo 60 mil t para Mato Grosso, 60 mil t para Mato Grosso do Sul e mais 60 mil t, distribuídas entre Goiás e Distrito Federal.

Foto: Divulgação

Além das operações e hoje, desde abril a Conab ofertou Pepro para 4,3 milhões toneladas de milho de MT, com prêmio arrematado para 2,52 milhões. Também foi oferecido, por meio de leilão público, PEP para 3,28 milhões de t do mesmo estado e negociado prêmio para 1,71 milhão de t.

Outros dois leilões de Pepro e PEP já estão marcados para a próxima quinta-feira (13). Na ocasião, será ofertado Pepro pela venda e escoamento de 880 mil toneladas de milho em grãos, safra 2016/2017 e 2017 a produtores de MT, MS, GO e DF. O de PEP será para o escoamento de 320 mil toneladas de milho em grãos dos mesmos estados.

VER MAIS: Valor Bruto da Produção do milho cresce 38,46%

VER MAIS: Mato Grosso do Sul dá início a colheita do milho segunda safra

VER MAIS: Dow coloca à venda seus ativos de milho no Brasil

Estas operações foram autorizadas pelo Conselho Interministerial de Estoques Públicos (Ciep) no começo de abril, por meio de portarias interministeriais, e têm a finalidade de garantir preço ao produtor de milho e incentivar o escoamento do excedente de produção para os grandes centros consumidores.

Deixe uma resposta