Na contramão do movimento de alta do óleo de soja, cotações do grão e do farelo caem

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Os preços do óleo de soja estão em alta no Brasil, atingindo os maiores patamares desde fevereiro deste ano, em termos nominais. O aumento dos valores está atrelado à firme demanda doméstica, principalmente do setor de biodiesel, e ao crescimento das exportações. Na contramão deste movimento, as cotações da soja em grão e do farelo vêm se enfraquecendo, refletindo a redução dos embarques brasileiros e expectativas de estoques elevados no fim da temporada 2016/17, o que tem deixado compradores cautelosos nas negociações.

VER MAIS: Argentina deve produzir 57 milhões de toneladas de soja na safra 2016/17

VER MAIS: Soja: decola ou despenca?

VER MAIS: “A cultura da soja tem potencial para mais de 140 sacas por hectare”

VER MAIS: Soja representa quase 50% das exportações brasileiras do agronegócio em maio

Além disso, a maior oferta na Argentina e expectativas de safra volumosa na temporada 2017/18 dos Estados Unidos também têm pressionado os valores no Brasil. O Indicador CEPEA/ESALQ Paraná caiu 1,44% entre 16 e 23 de junho, fechando a R$ 63,18/sc de 60 kg na sexta-feira, 23. O Indicador da soja ESALQ/BM&FBovespa Paranaguá cedeu 1,57% no período, a R$ 68,44/sc de 60 kg no dia 23.

Deixe uma resposta