(54) 3632 5485 contato@destaquerural.com.br

Governo Federal anuncia R$ 190,25 bilhões para Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018

Foto: Divulgação/Mapa
Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Esse é o maior volume de recursos da história para financiar a agricultura brasileira

O governo federal anunciou na manhã de hoje, (07), R$190,25 bilhões em recursos para o Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018. Esse é o maior volume de recursos da história para financiar a agricultura brasileira. Os médios e grandes produtores poderão acessar o crédito rural entre 1º de julho deste ano e 30 de junho de 2018.  Foi reduzido também, entre um e dois pontos percentuais, os juros das operações.

O volume de crédito para custeio e comercialização é de R$ 150,25 bilhões, sendo R$ 116,25 bilhões com juros controlados (taxas fixadas pelo governo) e R$ 34 bilhões com juros livres (livre negociação entre a instituição financeira e o produtor). O montante para investimento saltou de R$ 34,05 bilhões para R$ 38,15 bilhões, com aumento de 12%. Apoio à comercialização terá 1,4 bilhão.

Uma das novidades desta versão do Plano Agrícola e Pecuário está a retomada de linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a renovação de canaviais. Serão R$1,5 bilhão em recursos.

Foto: Divulgação/Mapa

Já Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota) contará com R$ 9,2 bilhões em recursos. Para a compra de máquinas e implementos agrícolas haverá um limite de 90% do valor financiado, com prazo de pagamento de 7 anos.

Com aumento de 24,3% em relação à safra 2016/2017 e com perspectivas de superar tal recorde em 2017/18, o governo federal também garantiu  recursos para investimento em armazenagem, de R$ 1,6 bilhão. Nessa temporada, os cerealistas também serão beneficiados no plano.

Os recursos para armazenagem, de acordo com o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller, vão ajudar o produtor a suprir a necessidade de logística, que beneficiará  cerealistas e cooperativas, que terão prazo de amortização do crédito em até 15 anos.

Deixe uma resposta