Raças de corte: possibilidade de sabor diferenciado na carne de ovelha

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Manutenção das raças dá a possibilidade de produzir animais com sabor e características totalmente diferentes

Redação Destaque Rural

No Brasil, para que se aumente o consumo de ovinos – segundo dados do Sebrae-SP de 2013, é consumido apenas 0,7 a 1,0 quilo por pessoa ao ano -, é necessário haver uma padronização das carcaças e cortes disponíveis aos consumidores. De acordo com especialistas da área, é preciso oferecer cortes com gordura e desenvolvimento muscular adequado.

Para o professor Hélio Rocha, da Universidade de Passo Fundo (UPF), os cortes mais nobres, como carré francês e curto, podem custar até R$150 em restaurantes, o que os torna inacessíveis a grande parcela da população. O professor vê a necessidade da manutenção das raças como uma possibilidade de produzir animais com sabor e características totalmente diferentes. Os animais criados na região Sul ou Campanha do Estado, por exemplo, têm um sabor diferente das raças criadas no Planalto. Com isso o mercado fica amplo a todos os gostos. “As raças de corte da nossa região [região Norte do Rio Grande do Sul] são propícias a serem consumidas, por terem baixo teor de ácido capróico, um ácido graxo saturado que dá um sabor característico à carne ovina, principalmente animais produtores de lã”, afirmou Rocha, em aula especial sobre cortes de ovinos na tarde de terça-feira (30), na Cepagro/UPF.

Nesta aula, o objetivo era oportunizar aos alunos uma forma diferente de consumo de carne, na forma de chuleta e linguicinha, que também, segundo Rocha, agrega valor a carne.

CARNE OVINA

A carne do tipo ovina, ou carne de cordeiro, é um tipo de carne vermelha que é mais rica em ferro que a carne de galinha ou peixe, por exemplo. É uma fonte de vitaminas, minerais e proteínas e o consumo pode ser integrado a uma dieta considerada saudável.  Segundo um estudo do Instituto de Zooctenia da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, a gordura presente na carne ovina não faz mal à saúde e pode ser chamada de uma gordura com “boa qualidade nutricional”.

Deixe uma resposta