Estudo da Conab acompanha preços dos insumos de milho e soja

Foto: Reprodução/Internet
Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

O trabalho foi construído em duas partes: a primeira é voltada para o comportamento dos preços de insumos nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul; a segunda, traz um estudo de caso no município de Campo Mourão, no Paraná

Um histórico traçado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) sobre os custos de  agrotóxicos e fertilizantes nos principais estados produtores de milho e soja revela que os melhores momentos para a aquisição de insumos são os que antecedem a safra de cada região brasileira. O estudo, avalia a participação dos fertilizantes na rentabilidade do produtor por ano-safra, de 2010/11 a 2015/16.

Segundo a publicação, denominada “O Comportamento dos Preços dos Insumos Agrícolas na Produção de Milho e Soja”, os agricultores normalmente não fazem estoques de insumos. Em vez disso, adquirem tais produtos quando o ciclo de plantio de cada cultura exige. Essa demanda momentânea acaba influenciando na definição de preços dos insumos.

VER MAIS: Estudo da Conab revela aumento da expansão territorial da safra agrícola

Apesar do produtor não participar de forma ativa no processo de formação de preços, o estudo indica que os valores, em sua maioria, se comportam de acordo com a procura e não apresentam grandes diferenças em relação à media de preços praticados nas localidades analisadas.

Além dessa relação entre fornecedor e produtor, a publicação destaca ainda oportunidades de investimentos, possibilidades de minimização dos custos de produção e a formulação de estratégias pelos setores diretamente envolvidos com a produção. O trabalho foi construído em duas partes: a primeira é voltada para o comportamento dos preços de insumos nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul; a segunda, traz um estudo de caso no município de Campo Mourão, no Paraná.

Foto: Reprodução/Internet

Deixe uma resposta