Viticultura gaúcha quase dobra área plantada em 20 anos

Foto: Viviane Zanella
Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

A área plantada de uvas no Rio Grande do Sul quase dobrou de tamanho em um período de 20 anos. Foi o que mostrou a mais recente edição do Cadastro Vitícola do Rio Grande do Sul 2013-2015. A viticultura já está presente em 27 das 35 microrregiões gaúchas e ocupa uma área de aproximadamente 40 mil hectares de vinhedos, de acordo com dados registrados em 2015, quase o dobro em comparação aos pouco mais de 21,5 mil hectares que eram plantados em 1995, quando a cultura estava presente em apenas 11 microrregiões gaúchas.

A mais tradicional região produtora de uvas e vinhos do Brasil, a Serra Gaúcha, está reduzindo sua supremacia na produção de uvas em função da expansão da cultura em outras regiões. A Microrregião (MR) Caxias do Sul, que contempla 19 municípios na Serra Gaúcha, era detentora de 90,08% da área vitícola do estado entre os anos de 1996 e 2000. De acordo com os dados do novo Cadastro Vitícola, a região ainda permanece em primeiro lugar, mas sua área plantada corresponde a 80,09% da produção do estado.

Apresentado na manhã do dia 24 de abril, a nova edição do Cadastro Vitícola, base de dados sobre a produção de uvas no Rio Grande do Sul, também indica que a viticultura está aumentando em regiões mais planas, nas quais é possível a mecanização do cultivo.

Único estado que possui esse tipo de cadastro, o Rio Grande do Sul responde pelo cultivo de 138 variedades de uva, entre Vitis vinifera, destinadas para a produção de vinhos finos, e uvas americanas e híbridas, destinadas à produção de vinho de mesa e sucos. Destas, 30 são responsáveis por 95% da área total de cultivo e duas delas, ‘Isabel’ e ‘Bordô’, representam 49,19% da área do estado.

 

Com informações da Embrapa.

Deixe uma resposta