Embrapa deve ser revigorada para enfrentar novos desafios, diz ministro

Foto: Noaldo Santos/Mapa
Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Empresa, que completou 44 anos nesta quinta-feira, contribuiu decisivamente para o país se destacar no agronegócio mundial

Em evento de comemoração aos 44 anos da Embrapa, nesta quinta-feira (27), o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, destacou que o conhecimento gerado pelos cientistas e suas equipes deu oportunidade ao Brasil de ser um dos maiores players do agronegócio do mundo. “A Embrapa é nosso cartão de visitas em qualquer país aonde vamos.” O presidente da Embrapa, Maurício Lopes acrescentou que Maggi “sempre esteve atento ao desenvolvimento da pesquisa agropecuária, cobrando investimentos e orientação adequada de prioridades”.

A comemoração iniciou com visita às instalações do banco genético da Embrapa, “um patrimônio de valor inestimável, com mais de 120 mil acessos de 976 espécies de vegetais, animais e de microorganismos”, observou o presidente. Na terça-feira (25), a lei de proteção de cultivares do Brasil completou 20 anos. “Se o Brasil conseguiu consolidar um arcabouço legal, moderno e competitivo para o desenvolvimento da sua genética vegetal, foi porque fez um sólido investimento de base”, afirmou Lopes.

Foto: Noaldo Santos/Mapa

Empresa pública de pesquisa e inovação tecnológica, a Embrapa é focada na geração de conhecimento e de tecnologia para a agropecuária brasileira. Está entre as maiores desenvolvedoras de variedades vegetais do mundo, com mais de 80 programas de melhoramento genético.

A importância de destinar mais recursos à Embrapa foi lembrada pelo ministro Blairo Maggi. “É preciso pensar a Embrapa fora do momento de crise, em que o orçamento da União possa dar aquilo que ela merece, precisa e que o Brasil espera. E junto, com outras estruturas, como a EmbrapaTec, que tramita no Congresso, devem se criar condições para que o trabalho, tudo aquilo que os senhores, o que a ciência e o conhecimento da Embrapa trazem seja comercializado, permitindo retorno aos cofres da empresa para que ela seja cada vez melhor e mais ativa no mercado. Temos que revigorar essa empresa, pensar no seu futuro. Em novas estruturas de negócios, novas associações.”

Deixe uma resposta