IR 2017: Dicas para o produtor rural

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

A declaração de imposto de renda de 2017 termina na próxima sexta-feira, 28 de abril. Produtor rural precisa tomar alguns cuidados na hora de realizar a declaração

Redação Destaque Rural

Os agricultores que tiveram rendimento superior a R$ 28.559,70 em 2016 e ainda não acertaram as contas com o Leão devem ficar atentos. O prazo para declarar o Imposto de Renda 2017 termina na próxima sexta-feira, dia 28. Na hora de fazer a declaração, alguns cuidados são importantes para deixar tudo em dia e não cair na malha fina. De acordo com o contador Sérgio Luiz Rossetto, o produtor rural deve ter atenção quanto à transferência de grãos. Por exemplo, ao arrendar uma terra não se paga este arrendamento como aluguel e sim como transferência de grãos. “O que recebe, declara como parcelamento da atividade rural”, afirma Rossetto.

Outro cuidado que o produtor rural deve ter é em relação ao livro caixa da produção. Segundo o contador, o agricultor deve ter todas as receitas e despesas constadas no livro.  “Às vezes só constam as receitas e os custos não. Isso a Receita Federal pode pegar na malha fina”, alerta. O contador também ressalta que o produtor deve deduzir tudo aquilo que é necessário para uma produção. “Desde os insumos até os bens que são adquiridos para a manutenção da atividade rural na propriedade”, afirma Rossetto.

 

Turismo Rural

De acordo com a Receita Federal, considera-se como atividade rural a exploração das atividades agrícolas, pecuárias, a extração e a exploração vegetal e animal. O turismo rural não pode ser considerado atividade rural, é uma exploração do comércio e caso o produtor tenha essa atividade na propriedade, é necessário fazer duas declarações, visto que uma tributação é diferente da outra.

 

Deve declarar quem:

  • Obteve, em qualquer mês do ano, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda, nos termos do art. 39 da Lei nº 11.196, de 21 de novembro de 2005.

Deixe uma resposta