Caminhos da soja: uma história a ser revivida

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Recanto temático da Emater/RS-Ascar revive os mais de 100 anos da Soja no Rio Grande do Sul

Para a 18ª edição da Expodireto Cotrijal, a Emater/RS-Ascar trouxe a soja como protagonista do Recanto Temático. O Caminhos da Soja resgata os mais de 100 anos da cultura do grão no Rio Grande do Sul e propõe um olhar atento ao futuro. Dividido em 28 cenários, os visitantes têm a oportunidade de conhecer a história da oleaginosa em questão de minutos. O primeiro cultivo de que se tem notícia ocorreu em Santa Rosa, no ano de 1914, com a chegada do pastor americano Albert Lehenbauer.

Caminhos da Soja. Foto: Ana Cláudia Capellari

A extensionista da Emater/RS-Ascar, Francieli Nava conta que o espaço foi pensado para prestigiar a soja. “Hoje, a soja é a principal cultura produzida no RS e o espaço foi traçado conforme os marcos da soja no estado”. A extensionista ainda conta que o público tem sido receptivo com o Recanto.” Parece que eles conseguem se enxergar em cada fase do desenvolvimento da soja”, comenta Francieli Nava.

Dentre os marcos da soja expostos no recanto, está o início do plantio direto no Rio Grande do Sul. O produtor rural Antoninho Ernesto Ferrari, de Colorado, foi que introduziu o plantio direto na década de 1970. O produtor conta que, quando iniciou com este método, foi alvo de críticas por seus colegas. “Diziam que eu era preguiçoso por deixar plantas no solo”, relembra Antoninho, de 84 anos. O produtor, que já foi conselheiro da Cotrijal, lembra que produtores rurais próximos a ele, queimavam palha, mas que ele não gostava dessa técnica. “Sou inimigo do fogo”, salienta o agricultor.

Antoninho Ernesto Ferrari, pioneiro na utilização do plantio direto no Rio Grande do Sul. Foto Ana Cláudia Capellari

A técnica do plantio direto proporciona menos desgaste de produção e como conta Antoninho, o que ele conseguia em três anos de lavoura hoje consegue em apenas um ano. É um sistema que está difundido na agricultura brasileira e que pode alcançar a sustentabilidade dos sistemas agropecuários.

O coordenador da Emater/RS-Ascar na feira, Celso Seibert ressalta a importância da produção de soja para o estado. “O soja abre um leque muito grande em termos de aproveitamento, é o produto com maior valor proteico”, afirma o coordenador. Seibert conta que o planejamento do Recanto Temático começou ainda em 2016 e que exigiu pesquisa e leitura. “Começamos a pensar o espaço em agosto do ano passado e, em setembro, elegemos o tema, os caminhos da soja”, afirma Celso.

O recanto temático é aberto ao público e pode ser visitado até o dia 10, na Expodireto Cotrijal.

Deixe uma resposta