Entidades do sul propõem criação do ABC Ambiental

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Farsul é uma das entidades responsáveis pela criação da proposta

Um programa com taxa de juros mais acessível seria incluído no PAP (Plano Agrícola e Pecuário) 2017/18 para facilitar a adequação dos produtores à legislação ambiental.  O Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC), lançado pelo governo federal na safra 2010/11 para incentivar a adoção de práticas agrícolas sustentáveis, pode ganhar um complemento a partir da temporada 2017/18.

Além da Farsul, outras quatro entidades ligadas ao agronegócio assinaram a criação do projeto. A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), a Organização das Cooperativas do Paraná (OCEPAR), a Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Paraná (SEAB) e também a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP).

O ABC Ambiental, se for adotado pelo Ministério da Agricultura, pode trazer os seguintes pontos para os agricultores:

  • Terraço: A proposta é incluir crédito para a manutenção dos terraços;
  • Georreferenciamento: A ideia é ter um financiamento para elaborar os projetos de georreferenciamento que do Incra, obrigatórios a partir de novembro deste ano para propriedades com mais de 100 hectares;
  • PRA: Para produtores que já tenham feito cadastro no CAR possam implantar a regularização das propriedades com o Programa de Regularização Ambiental (PRA);
  • Biodigestor: Implantação de sistemas de tratamento de dejetos e biodigestores nas propriedades rurais. A assistência técnica, com prazo de 2 anos, também será incluída;
  • Cana-de-açúcar: Produtores deverão abandonar a colheita manual e partir para a colheita mecânica da cana-de-açúcar até 2021;
  • Energia: Financiamento de projetos que incluam nas propriedades rurais energia eólica e solar, aquisição de placas fotovoltaicas e entre outros.

 

Foto: Ana Cláudia Capellari

Deixe uma resposta