O mercado para esta safra de soja

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

A Bolsa de Chicago segue sustentada pelos fundamentos da supersafra americana e pelas boas condições das lavouras da América do Sul, principalmente no Brasil, onde inclusive, já começou a safra no Mato Grosso. O valor do bushel, na Bolsa de Chicago, está em torno de US$ 10,30. Em nossas análises anteriores, já apontávamos para esse risco, que poderíamos ter nessa nova safra. Será bem provável que o mercado atuará abaixo dos US$ 10,00 por bushel, justamente por termos essas boas condições de lavoura e de boa safra e automaticamente, estoques altos.

Basicamente, o preço se determina entre oferta e demanda. Como a nossa demanda mundial está estabilizada em uma crescente, porém constante. e viemos de safras relativamente boas, ou supersafras, como ocorreu nos Estados Unidos, nossos estoques mundiais ficaram bem abastecidos e, consequentemente, recuaram-se os preços devido a oferta excedente.

Se nós observarmos o nosso mercado, nos últimos 3 a 4 anos, no último ano o nosso estoque de passagem é muito alto. Acima de 80 milhões de toneladas. Isso influencia no preço, pois se olharmos há 3 anos, falávamos em um bushel de US$ 15,00 a US$ 16,00. Então para o comprador internacional, que hoje é a China “o grande tomador de grãos”, de soja principalmente, está se comprando muito abaixo do valor de mercado, eles possuem suas reservas em dólar, e com 1 dólar compra-se muito mais grãos do que se comprava-se anteriormente.

Para o produtor brasileiro, o que nos dá um alento e que as vezes nos proporciona um ganho extra, é quando o nosso câmbio está favorável. Hoje o real está desvalorizado. No ano passado, o dólar chegou a R$ 4,20, o que impulsionou os preços. O grande receio agora é o porquê de o dólar subir. O dólar subiu no Brasil, basicamente, pressionado pela instabilidade política. As delações da Operação Lava-Jato e a troca de governo após o impeachment fizeram com que houvesse esta desestabilização e, também, fez com que houvesse esta “debandada” de investidores que trazem o dólar para o Brasil, que fez com que se valorizasse o dólar e, teoricamente, desvalorizasse o real. Porém, o mercado começa a dar sinais de que essa instabilidade começa a se normalizar, com prisões e investigações sendo transparentes. Isso traz pontos positivos em relação ao cenário internacional, fazendo com que os investidores retornem e que entrem mais dólares mais uma vez no Brasil. Automaticamente, valoriza o nosso real.

Um risco que corremos é o dólar vir abaixo dos R$ 3,00, que é perfeitamente possível. E é ai que mora o grande risco. Nós temos o bushel abaixo de US$ 10,00 e o dólar abaixo de R$ 3,00. Isso vai influenciar diretamente no preço da soja, que é o grande produto dos agricultores. Por um lado, uma safra de produção boa, por outro lado preços muito abaixo daquilo que imaginávamos.

Claiton Santos
TS Corretora de Grãos
Passo Fundo/RS

Deixe uma resposta