Credenciadoras ao Freio de Ouro projetam ciclo acirrado para 2017

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Avaliação dos dirigentes da ABCCC é de que o alto padrão será mais uma vez visto na competição 

Mais uma vez, as credenciadoras ao Freio de Ouro, que iniciaram logo após o encerramento do ciclo 2016, vêm movimentando criadores pelo país com o objetivo de conquistar uma vaga para as etapas classificatórias e, consequentemente, garantir lugar na grande final da modalidade em 2017, durante a Expointer, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). E a qualidade dos conjuntos, segundo avaliação dos especialistas, mostra que novamente o ano será de uma disputa acirrada.

De acordo com o vice-presidente Técnico da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Luiz Martins Bastos Neto, as credenciadoras estão sendo marcadas por boas provas, com uma disputa forte, especialmente em regiões com maior número de criadores. “Temos visto nestas provas boas médias, o que nos mostra uma qualidade igual ou até maior do que em outros anos”, observa.

Novidade das últimas temporadas, as credenciadoras mistas, onde podem correr os animais inéditos e os que já participaram em outros anos, de novo facilitaram a logística de criadores e treinadores. “Com este formato damos muitas opções ao ginete, que pode correr em uma credenciadora com vários animais. As credenciadoras mistas vieram para ficar”, analisa Bastos Neto.

O roteiro das classificatórias já foi definido pela ABCCC. No próximo ano serão nove classificatórias, sendo sete etapas no Brasil, em quatro estados diferentes (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Distrito Federal), mais as provas na Argentina e no Uruguai. No total, as seletivas serão responsáveis por classificar 48 machos e 48 fêmeas para a grande decisão.

Deixe uma resposta