Desafios da Gestão Rural / Raquel Breitenbach

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Demandas e desafios do agricultor gestor

Raquel Breitenbach

Neste artigo a proposta é discutir os desafios que o administrador rural enfrenta e as diversas demandas que se apresentam a ele no gerenciamento de uma unidade de produção agropecuária.

De modo geral, os responsáveis pela gestão e pelas atividades operacionais (plantio, colheita, tratos culturais, ordenha, etc.) nas propriedades rurais são as mesmas pessoas. Ou seja, não existe diferenciação clara entre gestão e trabalho, sendo isto mais presente nas unidades de produção familiares. Portanto, o agricultor gestor necessita responder várias questões para viabilizar a produção na sua propriedade, as quais podem ser visualizadas na Figura 1. Tais demandas, funções e desafios são explicados na sequência.

gestão rural

Figura 1- Demandas, funções e desafios atribuídos aos agricultores gestores das unidades de produção agropecuárias.

  1. Combinação de atividades na propriedade – diante das condições ambientais, disponibilidade de mão de obra, terra, capital e tecnologia, o agricultor deve definir quais atividades produtivas ou prestação de serviço vai adotar em sua propriedade, quais são mais adequadas e qual área vai destinar para cada uma delas;
  2. Formas de comercialização – antes mesmo de decidir o que produzir é essencial saber onde comercializar, se existe mercado para o produto, bem como as formas de comercialização, podendo optar pela mais rentável ou mais segura, formal ou informal, etc.;
  3. Níveis de produção a serem atingidos – o agricultor gestor deve conhecer sua propriedade, recursos disponíveis e suas potencialidades e, a partir disso, decidir se vai intensificar mais ou menos as atividades produtivas, utilizar mais ou menos recursos e, assim, definir que nível de produção atingir;
  4. Melhor tamanho de propriedade ou exploração – o tamanho da propriedade é o aspecto mais difícil do agricultor intervir, já que depende do capital e disponibilidade de áreas para aquisição. Já a definição de linha de exploração tem relação direta com a definição de atividades e áreas destinadas a elas;
  5. Práticas empregadas e substituição de fatores produtivos – cabe ainda ao agricultor definir a intensidade das explorações, bem como se pode substituir um fator produtivo por outro e até que ponto interfere na rentabilidade das atividades. Exemplo disso seria a substituição de adubo químico por orgânico;
  6. Programa de trabalho e utilização de maquinários – definir a divisão do trabalho na sua propriedade (quem é responsável pelo desenvolvimento de cada atividade.), bem como se existe mão de obra familiar suficiente ou é necessário contratar funcionários. Complementar a isso, também é responsável por definir como será a utilização dos maquinários, a necessidade de aquisição e se trabalhará de forma individual ou cooperativa com outros agricultores;
  7. Método de controle de custos – na prática essa demanda recebe menor atenção por parte dos agricultores gestores. Como relatado no artigo anterior, são raros os agricultores que realizam a análise de custos e receitas de seus estabelecimentos e, daqueles que realizam, poucos o fazem de forma adequada. Referente a isto, ressalta-se a importância do agricultor buscar conhecimento e/ou assistência técnica de profissionais que possam realizar isso com o agricultor.

As demandas e desafios aqui apresentados não consideram todas as atribuições dos agricultores ao administrar suas propriedades. Todavia, se buscou trazer para a discussão as demandas fundamentais. Fica evidente que o maior gargalo da gestão está na análise de custos da propriedade rural. Por fim, se demonstra que os desafios para o agricultor no gerenciamento são muitos, ao passo que exigem conhecimento técnico, de gestão e de mercados.

Deixe uma resposta