Mercado de trigo segue travado e preços em baixa

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

O mercado de trigo brasileiro permanece com poucos movimentos em relação à comercialização, e com as atenções dos agentes do mercado voltadas para a evolução da colheita, tanto no centro-sul do Paraná, como no Rio Grande do Sul.

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Jonathan Pinheiro, segue a avaliação da produtividade das lavouras, que até o momento está dentro do esperado no Paraná, com algumas perdas nesta reta final dos trabalhos, enquanto “no Rio Grande do Sul, o clima vem prejudicando o trigo nas últimas semanas, trazendo maiores preocupações aos produtores, já havendo relatos de perdas pontuais, porém significativas, que poderão trazer impacto ao quadro de oferta nacional”.

Pinheiro destaca que, “por outro lado, segue o ingresso de trigo proveniente do Paraguai, no país, e que ainda neste mês de novembro, deverá haver a entrada de trigo vindo da Argentina, de safra nova, no Brasil. O mercado permanece com viés baixista aos preços, apesar das preocupações com perdas nas lavouras, que tendem a no máximo minimizar esta tendência baixista, porém, não apresenta força neste primeiro momento para elevar as cotações”. O analista explica que com uma possível compra mais agressiva das indústrias de ração, novamente nesta temporada, e uma nova quebra mais acentuada, os preços internos poderão voltar a subir.

No Paraná, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), a colheita do trigo atinge 81% da área plantada de 1,084 milhão de hectares de trigo, que deve frente aos 1,346 milhão de hectares plantados na temporada anterior. Conforme o Deral, 86% das lavouras estão em boas condições e 14% em situação média, divididas entre as fases de frutificação (31%) e maturação (69%). A produção de trigo Paraná deve ficar em 3,270 milhões de toneladas na safra 2015/16, ante as 3,285 milhões de toneladas colhidas na safra 2014/15. O rendimento médio deve ficar em 3.017 quilos por hectare na safra 2015/16, acima dos 2.248 quilos obtidos na safra anterior (2014/15).

No Rio Grande do Sul, conforme relatório semanal da Emater/RS, a colheita atinge 22% do total plantado. As fortes chuvas do início da semana, com granizo em algumas áreas, provocaram danos pontuais, porém relevantes. A umidade da última semana assustou os produtores, mas não comprometeu a cultura. Depoimentos de produtores apontam para produtividades de até 70 sacas/há em alguns casos. Quando as condições meteorológicas permitem, a colheita avança rapidamente pelo aporte de máquinas dos produtores.

A colheita de trigo na região de Santa Rosa, no norte do Rio Grande do Sul, avançou bastante na última semana. Conforme apurado pela Agência SAFRAS, a ceifa já se aproxima dos 80% da área plantada. Segundo o engenheiro agrônomo da Cotrirosa, Taciano Reginatto, as últimas chuvas na região não prejudicaram as lavouras, nem os trabalhos, que devem ir até o próximo dia 10. “A expectativa é de clima favorável até o fim”. A superfície total fica em torno de 56,7 mil hectares, sendo 9 mil hectares em Santa Rosa.

Deixe uma resposta