Milho teve cotações mais baixas em outubro com aumento da oferta

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

O mercado brasileiro de milho chega ao final do mês de outubro apresentando preços mais baixos. As cotações foram pressionadas pela combinação de aumento da oferta com acomodação da demanda. O ritmo dos negócios na maior parte dos dias arrefeceu com essas características do mercado.

Segundo analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o mercado nacional passou por um período de avanço da oferta na segunda quinzena de outubro, especialmente. “Essa situação tem muito a ver com a atuação das tradings no mercado local, forçando a queda dos preços. Os compradores conseguiram se abastecer de maneira satisfatória, o que de certa forma não foi usual ao longo de 2016”, comenta.

No balanço mensal, a cotação do milho em outubro, até o dia 27, caiu em Campinas (CIF) de R$ 42,00 para R$ 39,00 a saca de 60 quilos. Na mogiana paulista, o preço no mesmo comparativo baixou de R$ 40,00 para R$ 37,50 a saca. Já em Cascavel, no Paraná, o mercado recuou no período de R$ 40,00 para R$ 37,00 a saca. No Rio Grande do Sul, o preço em Erechim caiu de R$ 50,00 para R$ 45,00 ao longo de outubro.

Exportações

As exportações de milho do Brasil apresentaram receita de US$ 178 milhões em outubro (14 dias úteis), com média diária de US$ 12,7 milhões. A quantidade total de milho exportada pelo país ficou em 1,029 milhão de toneladas, com média de 73,5 mil toneladas, até o dia 23. O preço médio da tonelada ficou em US$ 173,00.

Na comparação com a média diária de setembro, houve uma retração de 45,7% no valor médio exportado, uma perda de 47% na quantidade e ganho de 2,6% no preço médio. Na comparação com outubro de 2015, houve perda de 71% no valor total exportado, retração de 72,2% na quantidade total e valorização de 4,3% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Deixe uma resposta