Mercado atento à liberação da CTNBio de variedades de milho dos EUA

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Porto Alegre, 7 de outubro de 2016 – O mercado brasileiro de milho. teve como destaque na semana a notícia desta quinta-feira. As atenções estiveram voltadas para a reunião da CTNBio. Informações repassadas à Agência SAFRAS pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) confirmaram que a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou, nesta quinta-feira, três variedades transgênicas de milho com uso comercial permitido nos Estados Unidos, sendo duas da Monsanto (variedades MON 87427 e MON 87460) e uma da Syngenta (Evento 3272).

A partir de agora, depois que essa aprovação for publicada no Diário Oficial da União, começa a contar um prazo de 30 dias para contestação por parte do Conselho Nacional de Biossegurança (CNBS). Após esse prazo, não havendo contestações, os interessados poderão enviar pedidos de importação deste milho ao Ministério da Agricultura, sem que haja um limite para importação.

Conab

A safra brasileira de milho deverá totalizar de 82,346 e 83,809 milhões de toneladas na temporada 2016/17, avançando entre 23,5% e 25,7% sobre a produção da temporada anterior, de 66,694 milhões de toneladas. A previsão faz parte do primeiro levantamento para a safra brasileira de grãos 2016/17, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A área total cultivada está estimada entre 15,854 e 16,146 milhões de hectares, com recuo de 0,4% a avanço de 1,4% sobre o ano anterior, de 15,922 milhões de hectares. A Conab trabalha com produtividade média de 5.192 quilos por hectare, com ganho de 24,0% sobre a temporada anterior, de 4.189 quilos por hectare.

A primeira safra brasileira tem projeção de 26,270 a 27,733 milhões de toneladas, com avanço de 1,6% a 7,3% sobre as 25,854 milhões de toneladas produzidas no ano passado. A Conab estima área entre 5,319 e 5,611 milhões de hectares, queda de 1,3% sobre as 5,388 milhões de hectares deste ano. A produtividade deverá subir 3,0%, passando de 4.799 quilos por hectare para
4.941 quilos por hectare.

A segunda safra deverá totalizar 56,076 milhões de toneladas, com ganho de 37,3% sobre a temporada anterior, de 40,84 milhões de toneladas. A área deve repetir os 10,534 milhões de hectares cultivados neste ano. Já a produtividade deve avançar 37,3%, de 3.877 quilos para 5.323 quilos por hectare.

Agência SAFRAS

Deixe uma resposta