Evolução no plantio do Milho e preparativos para o da Soja no RS

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

É grande a movimentação de produtores intensificando os preparativos para a implantação da cultura da soja no RS. Alguns iniciaram a dessecação das áreas em pousio destinadas ao plantio da soja. Áreas foram manejadas quimicamente para alcançar um bom controle nas ervas, com ênfase na buva. Probabilidade de realização sequencial de herbicidas. Continuidade na revisão e regulagens de máquinas para o plantio. Observa-se uma menor procura pelo custeio da lavoura junto aos agentes financeiros e pela elaboração de projetos, assim como pela busca das interpretações das análises do solo e recomendação da adubação, sendo providenciados os pedidos dos insumos. A paralisação dos bancários vem prejudicando o andamento dos pedidos de custeios das lavouras de produtores que ainda não tinham realizado o seu planejamento. Na aquisição de insumos, há prioridade para fertilizantes e sementes.

Em todas as regiões houve boa evolução do plantio do Milho, chegando no Estado a cerca de 54% da área estimada. Na Fronteira Noroeste e Missões, a maior e primeira grande área a ser implantada com milho grão no RS (cerca de 118,5 mil ha), registra-se em torno de 70% da área já implantada, apresentando ótimo stand, porém com desenvolvimento mais lento nesse último período, em decorrência das baixas temperaturas ocorridas. Em outra grande área de cultivo de cerca de 71,5 mil ha que engloba as regiões Celeiro, Alto Jacuí e Noroeste Colonial, a semeadura está se aproximando das últimas implantações. No Planalto (cerca de 53,0 mil ha), as lavouras implantadas no cedo germinaram bem e estão com ótimo stand de plantas. Na segunda maior área de plantio de milho do RS, a região Serrana (cerca de 103,0 mil ha), a semeadura foi menos intensa no período devido à pouca umidade do solo e à baixa temperatura dos últimos dias. Nos Campos de Cima da Serra, a semeadura iniciou e deverá se intensificar no mês de outubro. Na Zona Sul (cerca de 63,0 mil ha), continua a elaboração de projetos de custeio. Em São Lourenço do Sul houve retomada da semeadura de milho. Outro fator positivo é o aumento do plantio direto na palha ou plantio com o mínimo de preparo do solo. Nas regiões do Vale do Rio Pardo e Alto da Serra do Botucaraí (92,8 mil ha), as lavouras baixas do Vale foram semeadas no cedo e a semeadura continua nas regiões de altitudes maiores (Alto da Serra do Botucaraí e Centro-Serra). Estima-se até o momento um percentual de 30% de área semeada nessas regiões. As lavouras apresentam boa germinação e emergência e ótimo stand de plantas.

Em geral, a semeadura e a aplicação de adubação nitrogenada foram interrompidas nos últimos dias em muitas áreas, em decorrência da falta de umidade do solo.

Fonte: Informativo Conjuntural EMATER

Deixe uma resposta