Mercado de frango encerra setembro com preços estáveis ao produtor

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

O mercado brasileiro de frango chega ao último dia de setembro registrando estabilidade nos preços do quilo vivo em relação ao começo do mês. De acordo com o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Iglesias, a ausência de mudanças frustrou a expectativa do setor, que buscava um reposicionamento de preços para recuperar as margens, prejudicada pela alta dos custos de produção.

No atacado e na distribuição os preços tiveram uma valorização ao longo do mês de setembro no mercado paulista. Para os produtos congelados, o quilo do peito na distribuição subiu de R$ 4,30 para R$ 4,70, o quilo da asa de R$ 6,40 para R$ 6,75 e o quilo da coxa de R$ 4,20 para R$ 4,62. No atacado, o quilo do peito subiu de R$ 4,50 para R$ 4,80, o da asa de R$ 6,60 para R$ 6,95 e o da coxa de R$ 4,40 para R$ 4,77.

Nos cortes resfriados, Iglesias disse que o preço do quilo do peito na distribuição avançou de R$ 4,60 para R$ 5,05, o quilo da coxa passou de R$ 4,50 para R$ 4,80 e o do quilo da asa aumentou de R$ 6,80 para R$ 7,10. No atacado a cotação do quilo subiu de R$ 4,45 para R$ 4,90, o da coxa avançou de R$ 4,30 para R$ 4,70 e o quilo da asa passou de R$ 6,55 para R$ 6,90 o quilo.

Iglesias comenta que a demanda por carne de frango no mercado interno foi positiva em setembro. “Não houve resposta em termos de preço devido ao desajuste na produção, que permanece em patamares bem elevados. Para os meses de outubro a dezembro, tudo indica que poderá ocorrer um movimento de alta nos preços no mercado interno, mas para isso é preciso estabelecer um maior ajuste das ofertas”, ressalta.

Na exportação, Iglesias sinaliza que setembro encerra com um desempenho razoável, com volumes embarcados entre 350 e 370 mil toneladas de carne de frango. “Para o último trimestre do ano, a tendência é de continuidade de um bom movimento das exportações”, projeta.

O levantamento semanal realizado por SAFRAS & Mercado nas principais praças de comercialização do Brasil indicou que em Minas Gerais a cotação do quilo vivo seguiu em R$ 3,30. Em São Paulo o quilo vivo continuou em R$ 3,10.

Na integração catarinense a cotação do frango permaneceu em R$ 2,95. No oeste do Paraná o preço foi mantido em R$ 2,95. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo continuou em R$ 3,00.

No Mato Grosso do Sul o preço do quilo vivo do frango foi mantido em R$ 3,20. No Distrito Federal o quilo vivo foi cotado a R$ 3,30, estável frente à semana anterior. Em Goiás o quilo vivo seguiu em R$ 3,25.

Em Pernambuco, o quilo vivo continuou em R$ 4,20. No Ceará a cotação do quilo vivo seguiu em R$ 3,80, enquanto no Pará o quilo vivo foi mantido em R$ 4,20.

Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Deixe uma resposta