Dada a largada: começa o Desafio CESB safra 2016/17

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Agricultor de MS vai inscrever duas áreas e deseja colher acima de 127 sc/ha

A partir de outubro agricultores do todas regiões brasileiras já poderão inscrever suas propriedades no Desafio de Máxima Produtividade da Soja, realizado pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB). A finalidade do Comitê é mapear e avaliar as técnicas empregadas que estimulam as altas produtividades, ampliando as médias do sojicultor brasileiro, estagnada na casa das 50 sacas por hectare há mais de uma década. O CESB lançou o Desafio da safra 2016/17 junto ao início oficial do plantio da soja, em Sinop (MT), e divulgará na próxima semana o calendário de inscrições, que serão efetuadas pelo site www.cesbrasil.org.br.
Vencedor na região Centro-Oeste, na safra 2014/15, o consultor Antônio Cavicchioli, de Ponta Porã (MS) colheu naquela safra 127 sacas por hectare, produtividade superior ao vencedor nacional da safra 2015/16, que somou 120 sacas, na cidade de Buri (SP). “O que impediu nesta última safra, foi o excesso de chuvas. O clima, ora vilão, ora mocinho, que definirá minha meta deste ano”, pontua Cavicchioli, que colheu 72 sacas por hectare na área do Desafio na última safra.
Mesmo com as chuvas em momento inapropriado para a lavoura, o agricultor pretende inscrever pelo menos duas áreas no Desafio do CESB, nesta edição 2016/17. Sua justificativa em participar desta competição também está relacionada à rentabilidade da propriedade.
Em suas planilhas da safra 2014/15, Cavicchioli apresentou as vantagens econômicas de participar do Desafio do CESB. Na área dedicada à soja comercial, atingiu 72 sacas por hectare, sob o custo aproximado de R$ 2,4 mil, e lucro de R$ 1,7 mil. Enquanto que no hectare inscrito e premiado pelo CESB, o custo se aproximou a R$ 2,9 mil e o lucro a R$ 4,4 mil.
Para concorrer o produtor deverá inscrever áreas que não sejam Áreas de Preservação Permanente (APPs) e deverão seguir Boas Práticas Agrícolas, além da legislação trabalhista.

Sobre o CESB
O CESB é uma entidade sem fins lucrativos, formada por profissionais e pesquisadores de diversas áreas, que se uniram para trabalhar estrategicamente e utilizar os conhecimentos adquiridos nas suas respectivas carreiras e vivências, em prol da sojicultura brasileira. O CESB é qualificado como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), nos termos da Lei n° 9.790, de 23 de março de 1999, conforme decisão proferida pelo Ministério da Justiça, publicada no Diário Oficial da União de 04 de dezembro de 2009.
Atualmente, o CESB é composto por 19 Membros e 17 entidades patrocinadoras: Syngenta, BASF, Bayer, Jacto, Mosaic, TMG, Stoller, Monsanto, Sementes Adriana, Agrichem, UPL do Brasil, Aprosoja MT, Produquímica, Instituto Phytus, DuPont, Timac Agro e Plant Defender.