Preços da arroba do boi gordo voltam a subir com restrição de oferta

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

boi-gordo O mercado de boi gordo operou com preços mais altos durante esta semana nas principais regiões de produção do Brasil. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos não tiveram escolha. “Foram obrigados a elevar os preços de balcão em meio à restrição de oferta de animais terminados”, disse.

Para ele, a restrição de oferta tende a ser ainda mais severa no decorrer do último trimestre, partindo do pressuposto que houve redução da segunda rodada de confinamento, além da estiagem que comprometeu as pastagens, impedindo o desenvolvimento adequado dos animais de pasto que deveriam chegar ao mercado a partir de novembro.

“Animais de safra chegarão ao mercado apenas no primeiro trimestre de 2017”, aponta.

A média de preços da arroba do boi gordo nas principais praças de comercialização do país ficou assim nesta semana:

Preços da arroba do boi gordo

* São Paulo – R$ 154,16 a arroba, contra R$ 153,77 a arroba na semana passada.
* Goiás – R$ 141,00 a arroba, contra R$ 140,33 a arroba.
* Minas Gerais – R$ 142,00 a arroba, contra R$ 141,30 a arroba.
* Mato Grosso do Sul – R$ 142,16 a arroba, contra R$ 141,50 a arroba.
* Mato Grosso – R$ 133,50 a arroba, estável.

Exportações

As exportações de carne bovina “in natura” do Brasil renderam US$ 209,4 milhões em setembro (11 dias úteis), com média diária de US$ 19 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 51,2 mil toneladas, com média diária de 4,7 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.091,00.

Na comparação com agosto, houve ganho de 24,8% no valor total exportado, ganho de 29,7% na quantidade total e desvalorização de 3,8% no preço médio. Na comparação com setembro de 2015, houve perda de 8,5% no valor total exportado, alta de 1,7% na quantidade total e desvalorização de 10,1% no preço médio.

Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS