(54) 3632 5485 contato@destaquerural.com.br

Gilberto Cunha – CT & BIO

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Pioneirismo do SPD em campo nativo melhorado

*Gilberto Cunha 

Aração e gradagem de solos ainda eram práticas bastante usadas na agricultura gaúcha, quando, em agosto de 1984, instigados por uma campanha patrocinada pelas entidades ligadas ao setor rural do município de Passo Fundo, com base no mote “Plante Bem, Plante Sempre”, em cujas mensagens veiculadas pela televisão, especificamente em uma delas, o médico veterinário João Kurtz Amantino encerrava a sua fala afirmando “Caberá, no futuro, ao campo nativo, a produção de grãos”; um grupo de pesquisadores da Embrapa Trigo, sob a liderança de Roque Gilberto Annes Tomasini, resolveu iniciar uma experiência que até então não havia sido praticada em nosso meio, envolvendo o Sistema Plantio Direto (SPD) em campo nativo melhorado, com o foco em produção de grãos e forragem, integrando lavoura e pecuária.

O vaticínio de João Kurtz Amantino não foi de todo tão desarrazoado quanto poderia parecer na época. O sistema trigo e soja, que predominava no nosso meio, vinha demonstrando certas fragilidades, que já eram perceptíveis na paisagem regional, como, por exemplo, nos mananciais de água, cuja coloração avermelhada era sinal de deposição de partículas dos solos erodidos e somando-se à presença de voçorocas que avultavam nas coxilhas, além de perda de produtividade das lavouras, que, inclusive, ameaçava a sustentabilidade econômica desse sistema. A integração lavoura-pecuária e o sistema plantio direto davam os primeiros passos como práticas promissoras em agricultura de base conservacionista. João Kurtz Amantino, um pecuarista vocacionado, apostou na força da inovação, introduzindo, a partir de um sistema de pastoreio rotativo Voisin  à la brasileira, com a orientação dos pesquisadores da Embrapa Trigo, um projeto de integração lavoura-pecuária, com plantio de soja, trigo, milho e pastagens em área de campo bruto melhorado (denominação da época para os campos nativos melhorados), manejado sob plantio direto. E os resultados não tardaram a aparecer na propriedade de João Kurtz Amantino, com a elevação da produtividade do trigo e da soja e a redução do tempo necessário para levar um boi ao abate. O trabalho ganhou notoriedade e chegou às páginas dos jornais e das revistas da época, com destaque para a ampla reportagem veiculada no Guia Rural, edição de abril de 1987, além de ter sido objeto de inúmeros relatos em publicações técnico-científicas.

Esse marco histórico do SPD em campo nativo melhorado envolveu a semeadura de várias espécies anuais, com coordenação e execução operacional pela Embrapa Trigo, na época, simplesmente mencionada como CNPT, em alusão a sua identidade institucional vinculada à Embrapa: Centro Nacional de Pesquisa de Trigo (CNPT). Na safra 1984/85, a soja (cultivar BR 4) foi semeada com um protótipo de semeadora para plantio direto desenvolvido pelo CNPT, conhecido nas hostes internas como Formiguinha, e com a implantadora de pastagens marca Fundiferro. Na sequência, em 1985, vieram o trigo (cultivar BR 14) e a cevada (linhagem PFC 7808), semeados com a semeadora TD 220, marca Semeato. Por sua vez, na safra 1985/86,voltaram a soja (cultivar Cobb), o trigo (cultivar CNT 8) e a mistura azevém + ervilhaca, implantados com a semeadora SD 513, marca Lavrale. Em 1986/87, foram cultivados milho (híbrido AG 401 e variedade Conda), semeado com um protótipo de semeadora para plantio direto desenvolvido pela Menegaz, e soja (cultivar BR4), com a semeadora SD 513, marca Lavrale.

Mas, o reconhecimento desse pioneirismo deu-se, efetivamente, por ocasião das comemorações do aniversário de 150 anos do município de Passo Fundo (1857- 2007), quando, a partir de uma inciativa do então vereador Édison Nunes, encaminhada ao Executivo Municipal em 20 de agosto de 2007, foi aprovada a construção de um monumento em homenagem ao “Pioneirismo na prática de plantio direto em campo nativo, sobre pastoreio rotativo”, tendo como local de instalação a Fazenda São João, às margens da Rodovia BR 285, onde o trabalho de campo foi originalmente realizado.

Quem cruzar pela Rodovia BR 285, no sentido Passo Fundo Mato a Castelhano, logo após a barragem da Corsan, com um pouco de atenção, poderá observar esse monumento, cuja inauguração ocorreu na tarde de 11 de dezembro de 2007. Uma descrição detalhada do trabalho pioneiro e seus principais resultados podem ser encontrados no documento “Campo bruto melhorado: grãos solo e vida”, de Roque Gilberto Annes Tomasini e outros, edições EMBRAPA-CNPT, 1987, 22p.

*Gilberto Cunha Pesquisador do Laboratório de Meteorologia Aplicada à Agricultura (gilberto.cunha@embrapa.br)

Deixe uma resposta