(54) 3632 5485 contato@destaquerural.com.br

Preços da soja sobem no Brasil, seguindo Chicago e dólar

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Os preços da soja avançaram nas principais regiões de negociação do país nesta sexta. A combinação de boa alta do dólar e ganhos em Chicago impulsionou as cotações no mercado interno.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 75,00 para R$ 78,00. Na região das Missões, o preço registrado foi de R$ 78,00, subindo R$ 3,50. No porto de Rio Grande, as cotações avançaram de R$ 78,00 para R$ 81,00. Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 76,50 para R$ 77,50. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 81,00 para R$ 82,00.m Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 74,00 para R$ 76,00. Em Dourados (MS), a cotação seguiu em R$ 72,00. Em Rio Verde (GO), a saca pulou de R$ 72,00 para R$ 76.00.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a sexta-feira com preços mais altos. O bom resultado dos embarques semanais americanos deu sustentação aos preços. O dia foi de posicionamento das carteiras, à espera dos dados de setembro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que serão divulgados na segunda.

As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2016/17, com início em 1 de setembro, ficaram em 1.776.800 toneladas na semana encerrada em 1 de setembro. A China foi o principal comprador com 843.300 toneladas.

Para 2017/18, as vendas ficaram em 8.000 toneladas. Analistas esperavam exportações totais de 1,100 milhão a 1,6 milhão de toneladas somando as duas temporadas.

O USDA deverá apresentar elevação na estimativa de safra americana de soja em 2016/17. Em relação aos estoques de passagem, a previsão é de corte para a temporada 2015/16 e de aumento para 2016/17. Analistas consultados por agências internacionais projetam safra 2016/17 de 4,100 bilhões de bushels, o equivalente a 111,6 milhões de toneladas. Em agosto, o USDA indicou produção de 4,06 bilhões de bushels ou 110,5 milhões de toneladas.

O mercado projeta estoques 2015/16 de 228 milhões de bushels, o equivalente a 6,205 milhões de toneladas. Em agosto, o USDA indicou estoques em 255 milhões de bushels ou 6,94 milhões de toneladas. Para 2016/17, a expectativa é de que o USDA indique estoques de 333 milhões de bushels ou 9,062 milhões de toneladas. Em agosto, a projeção foi de 330 milhões ou 8,981 milhões de toneladas. Para os estoques mundiais, o mercado aposta em queda para 2016/17, de 71,2 milhões para 70,6 milhões de toneladas. Para 2015/16, os estoques deverão ser cortados de 73 milhões 72,3 milhões de toneladas.

Hoje, os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com ganho de 3,50 centavos de dólar a US$ 9,80 1/4. A posição janeiro subiu 3,75 centavos para US$ 9,84 1/4.

No farelo, a posição outubro fechou com baixa de US$ 1,70, sendo negociada a US$ 317,70 por tonelada.

No óleo, os contratos com vencimento em setembro registravam preço de 33,10 centavos de dólar, com alta de 0,10 centavo.

Câmbio

O dólar comercial encerrou as negociações em alta de 2,05%, cotado a R$ 3,276 para compra e a R$ 3,278 para venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,214 e a máxima de R$ 3,285.

Informação de Safras e Mercado

Deixe uma resposta