Arroz gaúcho tem leve alta nos preços e minimiza retração

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

O mercado brasileiro de arroz vem apresentando preços levemente mais altos. A retração acumulada em relação ao mês passado diminuiu para 0,3%, na média do Rio Grande do Sul. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Jonathan Pinheiro, o cenário de baixa liquidez segue, em decorrência da baixa disposição, de ambos os lados do mercado, de negociar aos preços atuais.

“Do lado da oferta, os produtores têm negociado somente em caso de necessidade, apresentando pedida firme e pouca disposição em negociar. Já aqueles mais capitalizados aguardam por preços mais atrativos, que tendem a subir durante o período de pico da entressafra”, explica Pinheiro.

Conforme o analista, a indústria apresentando dificuldades em repassar o preço do grão em casca para o beneficiado negociado. Além disso, as cotações pelas paridades de importação, principalmente de países vizinhos do Mercosul, apresentam forte concorrência frente aos preços nacionais.

“Dentro deste cenário de retração dos agentes, as cotações vêm apresentando baixa volatilidade, se mantendo entre R$ 50,00 e R$ 51,00 a saca desde o início de julho deste ano. Possíveis alterações dentro desta conjuntura serão balizadas principalmente pelo dólar, podendo elevar os custos das importações, e assim, obrigando os agentes do mercado interno a se ajustar”, analisa.

Os agentes seguem na defensiva no aguardo da definição da área plantada e do volume de crédito a ser disponibilizado. As duas pontas do mercado seguem acompanhando o comportamento da balança comercial do arroz, do câmbio e dos preços internacionais.

Safra global

O Conselho Internacional de Grãos (CIG) divulgou, nessa semana, sua nova projeção para a safra global de grãos. Segundo o órgão, a produção de arroz foi cortada em 3 milhões de toneladas, mas ainda assim deve atingir o recorde de 484 milhões de toneladas. O CIG estimou a safra global de grãos em 2,069 bilhões de toneladas, alta de 23 milhões de toneladas ante a última previsão. O recorde atual, da safra 2014/15, é de 2,047 bilhões de toneladas. Os estoques finais mundiais são estimados em 492 milhões de toneladas, acima do recorde registrado na safra passada, de 469 milhões de toneladas.

Argentina

A produção de arroz da argentina deverá ficar em 1,4 milhão de toneladas em 2015/16. A projeção é do Ministério da Agroindústria daquele país, que divulgou o relatório de agosto. Se confirmada, será 10,3% interior a produção argentina na temporada passada, que ficou em 1,56 milhão de toneladas. A área plantada está estimada em 214,57 mil hectares, contra 239 mil hectares na temporada passada, representando um recuo de 10,2%.

Deixe uma resposta