Com produtor retraído, mercado de soja se arrastou no Brasil em junho

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

O mercado brasileiro de soja apresentou poucos negócios ao longo do mês de junho. No balanço do mês, os preços pouco se alteraram, reagindo à forte elevação de Chicago e a queda no dólar comercial.

No início do mês, as cotações domésticas de aproximaram de R$ 100,00 a saca nos portos, criando um novo patamar de pedida por parte dos produtores. As cotações internas não se sustentaram nestes níveis. Bem capitalizado, o produtor esperou por novo repique nos preços e se afastou do mercado.

A saca de 60 quilos subiu de R$ 85,00 para R$ 87,00 do início ao final de junho em Passo Fundo (RS). No mesmo período, o preço baixou de R$ 87,50 para R$ 87,00 em Cascavel (PR).

Em Rondonópolis (MT), a cotação passou de R$ 86,00 para R$ 81,50. Em Dourados (MS), o preço subiu de R$ 80,00 para R$ 81,00. Já em Rio Verde (GO), a saca perdeu força, baixando de R$ 84,00 para R$ 82,00.

Na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT), o resultado de junho foi muito favorável. Os contratos com vencimento em julho subiram 9,16%, fechando o mês a US$ 11,75. No pico de junho, a cotação rompeu a casa de US$ 12,00.

A sustentação dos contratos futuros se deu pelo aperto na oferta mundial da commodity. A safra argentina quebrou e o Brasil colheu menos do que o esperado. Apesar do bom desenvolvimento das lavouras e do aumento de área, os Estados Unidos vivem o “mercado de clima”. Previsões de clima desfavorável garantiram a alta na maior parte do período.

Já o dólar comercial caiu mais de 11% em junho, encerrando o mês a R$ 3,214. A queda da moeda no mercado internacional pesou sobre as cotações, que atingiu o menor patamar em quase um ano. No primeiro semestre, o dólar caiu mais de 18%.

USDA
A área plantada com soja nos Estados Unidos em 2016 deverá totalizar 83,7 milhões de acres, conforme o relatório de área do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Se confirmada, esta será a maior área plantada da história daquele país, crescendo 1% sobre o ano anterior.

No ano passado, a área foi de 82,65 milhões de acres. O número ficou abaixo da estimativa do mercado, de 83,97 milhões de acres. A área recorde de soja é esperada nos estados de Michigan, Minnesota, Nova York, Dakota do Norte, Ohio, Pensilvânia e Wisconsin.

Os estoques trimestrais de soja em grão dos Estados Unidos, na posição 1o de junho, totalizaram 870 milhões de bushels. O volume estocado subiu 39% na comparação com igual período de 2015.

O número ficou acima da expectativa do mercado, de 833 milhão de bushels. Do total, 281 milhões de bushels estão armazenados com os produtores, com ganho de 14%. Os estoques fora das fazendas somam 589 milhões de bushels, com alta de 55%.

Deixe uma resposta