Centrais de recebimento da agricultura familiar terão R$ 8 milhões

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Contrato entre o governo do Estado, via Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), e o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDS) na ordem de R$ 8 milhões foi assinado, nesta quinta-feira (30), para apoio à modernização de Centrais de Recebimento de produtos da agricultura familiar do Rio Grande do Sul. Serão 49 municípios beneficiados e aproximadamente 6 mil agricultores favorecidos.

Com a iniciativa, o Estado colabora com os municípios que executam ou apoiam os programas de compras governamentais da agricultura familiar, para fortalecimento de sua capacidade operacional e assim ampliar a participação destes agricultores no mercado institucional, contribuindo no apoio à modernização de centrais de recebimento de alimentos.

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário repassa o valor de R$ 7,840 milhões e o Estado, em contrapartida, investe R$ 160 mil.

O governador José Ivo Sartori agradeceu ao ministro e sua equipe pelo olhar sensível às necessidades do Rio Grande do Sul. “Hoje o contrato é realidade porque houve empenho, vontade política e senso de justiça social. Isto vai ajudar quem precisa. Este dinheiro não vai comprar apenas equipamentos. Ele vai garantir mais estrutura ao município, mais condições ao homem do campo, e mais nutrição alimentar ao cidadão que consome”, salientou Sartori.

“Este é mais um movimento em apoio à agricultura familiar, que vai possibilitar uma estrutura para transporte e armazenagem da produção. Estamos trazendo o que é possível de imediato para contribuir com o Estado do Rio Grande do Sul”, garantiu o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra.

O secretário do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Tarcísio Minetto, afirmou que este ato é importante para a agricultura familiar e vai contribuir para a “comercialização e descentralização da produção. Com essa conjunção de esforços entre os poderes, queremos que estes instrumentos cheguem lá na ponta, para quem precisa. Que esse contrato contribua para o desenvolvimento municipal e regional”, declarou.

O prefeito de Santa Maria, Cezar Augusto Schirmer, elogiou a linha de ação conjunta entre os três poderes e a iniciativa será revertida em produção, renda, empregos e melhora da qualidade de vida.

Equipamentos a ser adquiridos

– Balança mecânica de plataforma

– Câmara frigorífica para refrigeração

– Câmara frigorífica para produção de frio

– Veículo caminhão potências mínima 150cv, peso bruto total (PBT) de aproximadamente 8 toneladas, com baú frigorífico

– Veículo caminhão com baú, potência mínima 150cv, capacidade de carga mínima 8 toneladas, baú de alumínio natural corrugado com isolamento térmico

– Mesas em aço inox

– Transpallet (empilhadeira) manuais com acionamento hidráulico para transporte de pallets

– Pallets (estrados) de polietileno de alta densidade, para armazenagem e transporte de materiais

– Monoblocos (caixas) para hortifrutícolas em polietileno. 

Municípios contemplados

Agudo, Alegrete, Arroio do Tigre, Bento Gonçalves, Cachoeira do Sul, Canguçu, Canoas, Caxias do Sul, Chiapetta, Constantina, Crissiumal, Cruz Alta, Eldorado do Sul, Erval Seco, Frederico Westphalen, Gravataí, Horizontina, Ibirapuitã, Ibirubá, Lajeado, Marau, Mato Leitão, Mostardas, Novo Tiradentes, Planalto, Passo Fundo, Porto Alegre, Porto Vera Cruz, Rio Grande, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Santa Vitória do Palmar, Santana do Livramento, Santo Ângelo, Santo Antônio da Patrulha, Santo Augusto, Santo Cristo, São Borja, São Gabriel, São José do Norte, São Leopoldo, Sapiranga, Sarandi, Seberi, Tenente Portela, Três Palmeiras, Trindade do Sul e Venâncio Aires. 

Critério para a definição dos municípios

De acordo com as regras estabelecidas com a Câmara Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Caisan-RS) em parceria com o Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea-RS) são condições para a participação no projeto:

a) ter solicitado e concluído a adesão ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), diretamente com o MDS ou de forma mista com o governo estadual e/ou tenham projetos de PAA em execução, por meio da Conab;

b) estar adquirindo da agricultura familiar para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE);

c) ter Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea municipal) tendo preferencialmente, solicitado adesão ao Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional.

Deixe uma resposta