(54) 3632 5485 contato@destaquerural.com.br

No Dia Internacional do Leite, o Rio Grande brinda a produção leiteira

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Lino Moura – Diretor técnico da Emater/RS e superintendente técnico da Ascar

O Rio Grande do Sul é o segundo maior estado produtor de leite do Brasil, com mais de 4,6 bilhões de litros/ano, e o primeiro em produtividade, com uma média geral de 3.200 litros de leite/vaca/ano, sendo, neste caso, de 10,5 litros de leite/vaca/dia. Já para os produtores gaúchos vinculados à indústria, que produzem 4,2 bilhões de litros de leite/ano, a média anual é de 3.576 litros/vaca, ou de 11,7 litros de leite/vaca/dia. Diante destes números, ainda em transição, especialmente pelas recentes políticas públicas voltadas ao setor, podemos, neste Dia Internacional do Leite, celebrado dia 24 de junho, comemorar avanços no campo, principalmente, pela permanência dos produtores na atividade. Hoje, no Estado, são 198.817 produtores de leite, incluindo os 101.361, que produzem apenas para o consumo familiar, os 84.500 (42% do total de produtores), vinculados à indústria, presentes em 467 (ou 94% dos) municípios gaúchos, e ainda os 224 produtores gaúchos que processam o leite em agroindústrias próprias legalizadas. Toda essa produção, distribuição e envolvimento, basicamente familiar, por parte do produtor, movimenta a economia dos municípios. Interessante destacar que 97,6% dos produtores que fornecem leite para as indústrias são familiares, ou seja, 82.145 produtores estão vinculados a empresas que processam e transformam o leite, em delícias que vêm para nossas mesas. Mas não basta garantir leite em quantidade, precisamos manter a qualidade, proporcionando ao produtor uma Assistência Técnica também de qualidade, com capacitações, acompanhamento e incentivando e promovendo sua inserção no mercado. No Estado, a Emater/RS-Ascar assiste a mais de 30 mil produtores de leite, distribuídos em 443 municípios (89% dos municípios gaúchos). Para nós, extensionistas, a qualidade do leite é prioridade e é buscada através do tripé: alimentação a base de pasto, qualidade do leite e gestão, temas estes que têm incentivado o aumento do volume de produção e a inclusão no mercado de 5.200 produtores que participam, nos últimos anos, da Chamada Pública do Leite. Nessas propriedades é perceptível o aumento da produtividade por animal e, apesar de ainda termos uma produção em menor escala e estarmos passando por um momento de crise, por questões de fraudes e de redução do consumo, acreditamos que um dos avanços que conquistamos no dia a dia é, enquanto Instituição de Assistência Técnica e Extensão Rural e Social, viabilizar a permanência do produtor no campo, seja através de políticas públicas e de capacitações, ou pela redução da penosidade de seu trabalho, com novos equipamentos e melhoria das instalações. Acreditamos que, apesar da flexibilização dos prazos de adequação às normativas, estamos no caminho da qualificação do produtor e do leite, garantindo aos consumidores um produto de qualidade e que gere renda e incentive o produtor a manter seu trabalho no campo, para que, a cada ano, tenhamos ainda mais motivos para comemorar o Dia Internacional do Leite. Um brinde aos nossos produtores e a todos os consumidores de leite!

Deixe uma resposta