Plano energético do Rio Grande do Sul prevê investimentos em energia eólica

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Palestra do secretário de Minas e Energia na Semana Arrozeira de Alegrete indicou que a Região da Fronteira Oeste tem capacidade de gerar 43 GW, potencial maior do que outras regiões brasileiras

A energia elétrica no Brasil poderia ficar 10% mais barata e atingir um índice de geração com maior potencial apenas priorizando a eficiência energética e respeitando as vocações de cada região.  Atualmente, 62% da energia gerada no país é hídrica e muitas vezes com a falta de chuva, os reservatórios diminuem, o que acaba aumentando os custos das tarifas. As afirmações foram feitas pelo secretário de Minas e Energia do Rio Grande do Sul, Lucas Redecker, nesta quarta-feira, dia primeiro de junho, durante a Semana Arrozeira, promovida pela Associação dos Arrozeiros de Alegrete.

Redecker apresentou o Plano Energético do Estado, mostrando que o Rio Grande do Sul tem um grande potencial de crescimento energético com possibilidade de gerar e distribuir energia para todo o país. O plano identifica os potenciais de geração de energia de cada região do Estado. O secretário destacou que atualmente a participação da Região Sul do Brasil na geração de energia tem um potencial de 20.7 GW e a previsão é de que em 10 anos chegue a 27.9 GW. “Somente o Rio Grande do Sul, que hoje gera 7.6 GW, tem potencial de crescimento para ultrapassar esta previsão para região e atingir 102 GW, utilizando principalmente a energia eólica”, garantiu Redecker.

Segundo o secretário, o maior potencial está na Região da Fronteira Oeste, mas que ainda não explora este tipo de energia.  Afirmou que a região tem condições de gerar 43 GW, maior do que muitos estados brasileiros,  e a tendência é trazer investidores para implementar um parque eólico.“A contribuição que o Rio Grande do Sul pode dar para a redução da tarifa de energia elétrica é estimular a geração de energia mais barata para que as concessionárias possam comprar e com isso haver uma diminuição na tarifa,” explicou Redecker.

A Semana Arrozeira é realizada pela Associação dos Arrozeiros de Alegrete com co-participação da Unipampa e tem o patrocínio do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), Sicredi, Fertilizantes Heringer, Super Tratores, CAAL, Kepler Weber e Caixa Econômica Federal. Mais informações sobre o evento estão no site www.semanaarrozeira.com.br.

Deixe uma resposta