Governo fecha parceria com a CCGL para qualificar cadeia leiteira

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado
Conforme ressaltou Sartori, a produção leiteira exerce papel fundamental ao manter as famílias no campo - Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini
Conforme ressaltou Sartori, a produção leiteira exerce papel fundamental ao manter as famílias no campo – Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini

Para incrementar a cadeia leiteira do estado, foi assinado na tarde desta quinta-feira (2) termo de cooperação técnica entre o Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, e a Cooperativa Central Gaúcha do Leite (CCGL). A parceria representa mais qualidade na produção do leite, assim como maior controle de doenças como a tuberculose e brucelose, o que contribuirá para a expansão do leite gaúcho a novos mercados consumidores. 

Durante o ato de assinatura, no Palácio Piratini, o governador José Ivo Sartori elogiou a iniciativa. “Esse termo de compromisso da CCGL é um exemplo a ser seguido por outras empresas, pois como já disse inúmeras vezes, sozinho o Estado não pode fazer tudo”, destacou. Conforme o governador, as parcerias possibilitam a articulação de ações que resultam em maior desenvolvimento para todas as regiões e também para os mais diversos segmentos da economia gaúcha.

O chefe do Executivo também ressaltou a importância da cadeia leiteira, “por sua grande abrangência, já que está presente em quase todos os municípios, contribuindo com as economias locais, gerando uma renda fixa para um grande número de trabalhadores rurais”. Além disso, segundo Sartori, a cadeia leiteira exerce um papel considerado por ele fundamental, “que é a missão de fazer com que as famílias permaneçam no campo”.

Ao assinar o documento, o presidente da CCGL, Caio Vianna, enfatizou a importância do convênio firmado com o governo estadual e Secretaria da Agricultura. “A partir de agora vamos melhorar as propriedades dos fornecedores de leite da CCGL a fim de que seja possível fornecermos a certificação de propriedade livre de tuberculose e brucelose”. Segundo Vianna, são esses dois problemas que retiram o Brasil dos principais mercados de leite e carne do mundo, como os Estados Unidos, países da Europa, Ásia e outros.

A CCGL, com sede em Cruz Alta, está presente em 350 municípios gaúchos e possui 3.800 produtores cadastrados, sendo que 74% são pequenos agricultores, e o restante pode ser classificado como médios e grandes.

Programa de sanidade

O programa para melhoria do leite produzido no estado foi elaborado pelos técnicos do Departamento de Defesa Agropecuária da Secretaria da Agricultura, juntamente com a CCGL, e será colocado imediatamente em prática. Na primeira fase, serão tratadas 20 mil vacas e, na segunda, mais 20 mil animais. O programa tem respaldo do Ministério da Agricultura.

Para o secretário da Agricultura, Ernani Polo, a ação um avanço para o tratamento das doenças que impedem que os produtos gaúchos cheguem a outros mercados. De acordo com Polo, a Secretaria está aberta a todas as cooperativas e também indústrias que queriam fazer projetos conjuntos, “visando o beneficiamento e o crescimento dos setores e a consequente abertura ao mercado internacional”.

Deixe uma resposta