Dólar e Chicago em alta animam mercado brasileiro de soja

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Os preços da soja reagiram na maioria das praças de negociação do Brasil nesta semana mais curta, devido ao feriado de Páscoa. A movimentação também melhorou. Os produtores aproveitaram a reação do dólar e dos contratos futuros em Chicago para negociar.

A saca de 60 quilos subiu de R$ 70,50 para R$ 71,00 em Passo Fundo (RS), entre os dias 16 e 23 de março. Em Cascavel (PR), o preço avançou de R$ 68,00 para R$ 70,00.

Em Dourados (MS), a cotação passou de R$ 63,00 para R$ 62,50. Em Rondonópolis (MT), o preço avançou de R$ 60,00 para R$ 61,00. Em Rio Verde (GO), a cotação subiu de R$ 62,00 para R$ 63,50.

A valorização do dólar sobre o real entre os dias 18 e 23 animou os produtores no Brasil. A moeda americana acumulou alta de 2,65%, subindo para R$ 3,678. A questão política continuou dando o tom das oscilações cambiais no Brasil.

Para completar o cenário favorável, os contratos com vencimento em maio em Chicago apresentaram alta de 1,4%, fechando a US$ 9,07 a quinta. A perspectiva de firmeza na demanda pela soja americana ajudou a elevar os preços futuros, mesmo que o quadro fundamental ainda aponte para perdas no longo prazo.

A safra argentina de soja deverá totalizar 60,9 milhões de toneladas em 2015/16, segundo a primeira estimativa de produção do Ministério da Agricultura daquele país. Em 2014/15, a produção do país foi de 61,4 milhões de toneladas.

O Brasil também está colhendo uma safra cheia. A produção brasileira de soja em 2015/16 deverá totalizar 100,661 milhões de toneladas, com aumento de 5,2% sobre a safra da temporada anterior, que ficou em 95,711 milhões de toneladas. A previsão é de SAFRAS & Mercado.

Na comparação com o relatório anterior, houve uma elevação de 814 mil toneladas, ou 0,82%. Em janeiro, a estimativa era de 99,847 milhões de toneladas.

Deixe uma resposta