Fórum Florestal discute sucessão rural e áreas de açudes

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Nesta quinta-feira (10), penúltimo dia da Expodireto Cotrijal, ocorreu o 9º Fórum Florestal do Rio Grande do Sul

Promovido pela Emater/RS-Ascar, Cotrijal, Embrapa Florestas, Ageflor, Sindimadeira/RS, Sindimate/RS, Ibramate e Câmara Setorial da Erva-Mate, o 9º Fórum Florestal do RS reuniu autoridades, técnicos e produtores do setor no auditório central, na manhã desta quinta-feira (10).

A primeira palestra abordou o potencial da erva-mate como instrumento facilitador na Sucessão Rural e na Permanência do Jovem no Campo, exemplificando o caso da Associação dos Produtores de Erva-Mate (Apromate), ministrada por Sélia Felizari, da Apromate, e Mara Bianchin Carpes, extensionista rural social da Emater de Machadinho.

Após, ocorreu a palestra sobre Adequação Ambiental, Regularização e Consolidação de Açudes em Áreas de Preservação Permanente, contando a experiência exitosa do munípio de Passo Fundo. Sobre o tema, falaram Rúbens Astolfi, da secretaria de Meio Ambiente, e Paulo Cirne, promotor de Justiça Especializada da Comarca de Passo Fundo.

O superintendente de Produção Agropecuária da Cotrijal, Gelson Melo de Lima, mencionou que a Expodireto Cotrijal tem o propósito de discutir grandes questões estruturais do agronegócio e alternativas para áreas onde o fator terra é um determinante, caso do Estado Rio Grande do Sul. “A cadeia produtiva da erva-mate tem um impacto muito relevante na economia das pequenas propriedades, das indústrias e, consequentemente, do nosso Estado”, apontou, dizendo que este é um evento solidificado na feira, já que vai além das discussões tradicionais, com mais peso, como é o caso da área de grãos, agroquímicos, fertilizantes e máquinas agrícolas. “Que bom que temos esse espaço para discutir culturas diversas, alternativas e soluções para a produção”.

O secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, lembrou que o fórum visa debater temas importantes para o fortalecimento do setor florestal, como um todo. Ele relatou ainda que a pasta está com tratativas em andamento para transferir o setor de florestas plantadas para a Secretaria da Agricultura, já que se trata de uma atividade agrícola. “Isso dará uma segurança jurídica no processo de expansão de florestas plantadas, assim poderemos aproveitar o potencial que o nosso Estado tem”, enfatizou.

O presidente da Emater/RS-Ascar, Clair Kuhn, disse estar contente com a parceria da entidade com a Cotrijal, por abordar assuntos que interessam ao pequeno, médio e grande produtor. “A tecnologia empregada nas propriedades gaúchas, até em função da Expodireto, é muito maior que muita indústria do país”, concluiu.

Espaço para discussões técnicas e de reunião da família. O pequeno Davi Ruviar Jaguszewski, de apenas três meses, esteve no fórum, acompanhando os pais, Elon e Maise, de Erechim, que são engenheiros florestais e tradicionalmente participam do debate da Expodireto Cotrijal.

Deixe uma resposta