Permanência do jovem no campo depende de confiança

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Projeto piloto pode dar autonomia aos novos empreendedores

Monique Tartas – Especial para Destaque Rural

“O que a Emater pode fazer para segurar o meu neto no campo?” foi o questionamento que impulsionou um trabalho realizado há três anos pela Emater/ASCAR-RS no município de Machadinho – RS.

A pesquisa, realizada em 18 comunidades do município, revelou São Caetano, uma das principais produtoras de erva-mate, como o local com maior sucessão familiar. O interesse por parte dos jovens neste cultivo foi abordado na palestra “O Potencial da Erva-Mate como Instrumento Facilitador na Sucessão Rural e na Permanência do Jovem no Campo – O Caso da Apromate”, no quarto dia da 17ª Expodireto Cotrijal. Na oportunidade, estiveram presentes a presidente da Apromate, Sélia Felizari, e a extensionista da Emater em Machadinho, Mara Carpes. 

O evento destacou como principais fatores responsáveis o ambiente de trabalho, a rentabilidade, a flexibilidade de horários, a variedade de subprodutos e o reforço da tecnologia em prol da produção.  Por outro lado, alguns entraves ainda dificultam a continuidade das produções não só em ervais, mas também em outras plantações. Através da pesquisa, a equipe da Emater conseguiu compreender a relação entre pais e filhos com o campo e agora trabalha em torno de suas perspectivas para os negócios.

69% dos pais consultados afirmaram confiar em seus filhos para entregá-los a responsabilidade pelas propriedades, mesmo não sabendo o momento certo para tal. Segundo Mara, o jovem não possui “voz” nas decisões da família por falta de diálogo.

Na tentativa de dar autonomia aos jovens no campo, quebrando ao mesmo tempo paradigmas culturais, a entidade pretende reunir diferentes setores da comunidade para construir um projeto piloto. A ideia é viabilizar, junto ao poder público, um recurso às famílias que disponibilizarão um espaço da propriedade para que os filhos empreendedores possam desenvolver o plantio, a manutenção e a comercialização de seus produtos. Para o sucesso do programa, também será preciso garantir o mercado que, no caso da Erva-Mate em Machadinho, já está assegurado.

Mara ainda destaca uma característica muito forte dos novos jovens. Para ela, o imediatismo pode garantir a sucessão familiar. “O jovem é muito imediatista, por isso a necessidade de elaborar projetos que garantam uma renda a curto prazo, para que realmente consigamos fazer com que permaneçam no meio rural”, afirma. 

Deixe uma resposta