(54) 3632 5485 contato@destaquerural.com.br

Programa de fortalecimento da Agricultura Familiar

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Conheça o programa de fortalecimento da agricultura familiar e saiba como solicitar o benefício

Com mais de 2,6 milhões de famílias beneficiadas, o programa de fortalecimento da agricultura familiar (Pronaf) transformou a vida dos brasileiros residentes no campo e, hoje, é exemplo mundial de política pública de sucesso. O caminho para conseguir usufruir do programa é muito simples. O primeiro passo é o agricultor familiar com renda de até R$ 360 mil definir qual projeto pretende desenvolver. Obrigatoriamente, a ideia deve ter como finalidade a geração de renda para agricultores familiares ou assentados da reforma agrária. Mas os recursos podem ser utilizados para financiar desde o custeio da safra até investimentos em máquinas, equipamentos e infraestrutura. Projeto esboçado, é a hora de a família procurar o sindicato rural ou a Emater para conseguir a declaração de aptidão (DAP) ao Pronaf. Em seguida, com o documento em mãos, o agricultor deve procurar a assistência técnica e extensão rural do município para elaboração do projeto técnico de financiamento. Ideia posta no papel, é preciso encaminhá-la ao agente financeiro responsável pela análise e aprovação de crédito. As linhas de crédito oferecidas pelo Pronaf podem sem consultadas no endereço http://www.mda.gov.br/sitemda/secretaria/safcreditorural/linhas-de-cr%c3%a9dito Podem participar do programa agricultores familiares cuja renda familiar bruta alcançou, nos 12 meses que antecedem a solicitação do Pronaf, até R$ 360 mil. O agricultor deve estar com o CPF regularizado e livre de dívidas. Não pode participar quem tiver contratado operação de investimento do programa de crédito especial para a reforma agrária (Procera) ou contratado o limite de operações ou de valor de crédito de investimento para estruturação no âmbito do Pronaf. Se o interessado for beneficiário da reforma agrária e do crédito fundiário, deve procurar o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) ou a unidade técnica estadual (UTE).

Deixe uma resposta