Recorde de produção da soja impulsiona agricultura

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Impulsionada pelo novo recorde de produção de soja (86,8 milhões de toneladas), a agricultura brasileira registrou, em 2014, crescimento de 8,1% no valor de produção, chegando a R$ 251,2 bilhões. A soja, o café arábica e o algodão herbáceo foram as culturas que mais contribuíram para o aumento do valor de produção. Das 64 culturas investigadas, 39 apresentaram aumento na produção e 25, queda. Além da soja (mais 5,0 milhões de toneladas), destacaram-se a mandioca (mais 1,8 milhão de toneladas), o algodão herbáceo (mais 820 mil toneladas) e o trigo (mais 523 mil toneladas).

Prejudicada pela estiagem em 2014, a cana-de-açúcar (-4,0%) destacou-se entre os produtos em queda. São Desidério (BA) liderou o ranking nacional do valor da produção (R$ 2,3 bilhões), tendo o algodão herbáceo como principal produto. A soja foi o principal produto de 41 dos 50 municípios com maiores valores de produção, com destaque para Sorriso (MT), que, com valor de produção de R$ 2,2 bilhões, ocupou a segunda colocação no ranking dos municípios.

Essas informações estão na Pesquisa da Produção Agrícola Municipal (PAM) 2014, que investiga 64 produtos da agricultura nacional e tem resultados para Brasil, grandes regiões, estados e municípios. As informações completas da PAM 2014 estão disponíveis aqui.

Todas as grandes regiões registraram aumentos no valor da produção agrícola, em 2014, sendo os maiores no Nordeste (19,5%), Centro-Oeste (12,4%) e Norte (11,7%), seguidos por Sul (4,1%) e Sudeste (3,1%). Com isso, o valor da produção chegou a R$ 71,5 bilhões (Sul); R$ 69,2 bilhões (Sudeste); R$ 64,2 bilhões (Centro-Oeste); R$ 33,3 bilhões (Nordeste); e R$ 13,0 bilhões (Norte).

Considerando as Unidades da Federação, São Paulo manteve a hegemonia, embora a participação no valor de produção tenha caído de 16,0% para 14,8%, entre 2013 e 2014, em função das altas temperaturas e baixas precipitações, que prejudicaram a cana-de-açúcar. Na segunda posição, ficou Mato Grosso (13,5%), seguido por Paraná (12,9%), Rio Grande do Sul (12,2%) e Minas Gerais (10,3%).

O valor da produção agrícola de São Paulo totalizou R$ 37,2 bilhões, em 2014, e o principal produto foi a cana-de-açúcar (57,5%), seguida pela laranja (9,8%), soja (4,6%), tomate (4,5%) e café arábica (4,3%). Em Mato Grosso, a cultura temporária tem participação de 99,1% nos R$34,0 bilhões, destacando-se a soja (69,6%), o algodão herbáceo (11,3%), o milho em grão (10,9%), a cana-de-açúcar (3,3%), o arroz (1,1%) e o feijão (1,1%).

Nos 50 principais municípios produtores foi registrada queda no valor total de produção cinco municípios: -22,6% em Cristalina (GO), -3,6% em Jataí (GO), -25,7% em Chapadão do Céu (GO), -13,7% em Tibagi (PR) e -13,6% em Perdizes (MG).

 

Produção de soja cresce 6,2%, mas rendimento cai 2,1%

O crescimento da produção nacional de soja foi de 6,2%, totalizando 86,8 milhões de toneladas, com rendimento médio de 2.866 kg/ha, 2,1% menor que o da safra anterior. Em 2014, manteve-se o ranking entre os principais produtores de soja: Mato Grosso (30,5%) liderou a produção, seguido por Paraná (17,2%), Rio Grande do Sul (15,0%), Goiás (10,3%), Mato Grosso do Sul (7,3%) e Minas Gerais (3,9%).

A soja foi o principal produto de 41 dos 50 municípios com maiores valores de produção agrícola, com destaque para Sorriso (MT), onde atingiu R$ 1,7 bilhões, Campo Novo do Parecis (MT), Nova Mutum (MT), Sapezal (MT) e Formosa do Rio Preto (BA).

Deixe uma resposta