Entidades assinam Termo de Cooperação Técnica que estabelece “Programa Plante Milho e Feijão, após a colheita do Tabaco”

Destaque Rural | Portal do Agronegócio | Revista, Agricultura, Pecuária, Mercado

Com o intuito de proteger o solo, otimizar recursos e estimular a sustentabilidade, foi assinado, na manhã desta quinta-feira (05), na Secretaria Estadual da Agricultura o Termo de Cooperação Técnica Interinstitucional, que irá estabelecer compromisso entre as entidades envolvidas na implementação do “Programa Plante Milho e Feijão Após a Colheita do Tabaco”. O documento foi assinado pela Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Secretaria Estadual do Desenvolvimento Rural, Ministério da Agricultura, FARSUL, FETAG, SINDITABACO, AFUBRA, EMATER, e FEPAGRO.

Para o secretário Estadual da Agricultura, Ernani Polo, esta iniciativa representa o incentivo à produção no Estado através da diversificação e visando viabilizar renda aos produtores: “Precisamos unir os órgãos, entidades e instituições em nome do fortalecimento do setor primeiro a busca de constituir e fomentar o desenvolvimento de uma agricultura forte. O Rio Grande do Sul tem uma diversidade infinita de culturas, portanto o papel do poder público é incentivar e fomentar a implantação das culturas”, destacou.

O plantio de milho e feijão após a colheita do tabaco permite, acima de tudo, a diversificação de atividades dos produtores, e com isso, a proteção do solo da erosão, o aproveitamento dos resíduos da adubação do tabaco, a economia na alimentação dos animais, a uma maior colheita de alimentos, acarretando uma maior geração de renda na propriedade.

O termo de cooperação visa maximizar a rentabilidade e auxiliar na viabilização da pequena propriedade rural através da diversidade de culturas. As entidades, ao assinarem o termo, comprometem-se a implementar os objetivos do Programa a seguir:

– Aprovar peças de publicidade a serem utilizadas nos processos de divulgação e difusão do programa;

– Disponibilizar o programa ‘’Mais Água, Mais Renda’’ para fomentar o uso de irrigação e o programa ‘’RS Mais Grãos’’ visando à ampliação da armazenagem e secagem de milho nas propriedades abrangidas pelo programa;

– Divulgar o projeto no âmbito de suas competências em nível municipal, estadual e nacional, bem como onde mais for conveniente, desde que ouvidas as outras partes;

Além dessas metas, as entidades deverão ainda elaborar um relatório conjunto das atividades desenvolvidas no final de cada ano. O prazo de duração do Termo é de um ano, podendo ser prorrogado.

Além do Secretário Estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo e Iberê de Mesquita Orsi, representando a Secretaria de Desenvolvimento Rural, também estavam presentes o deputado estadual Marcelo Moraes, assessorias dos deputados Adolfo Brito, Edson Brum e Pedro Pereira, FARSUL, FETAG, SINDITABACO, AFUBRA, EMATER, FEPAGRO, Souza Cruz e Sindicatos Rurais.

Deixe uma resposta